Publicado 24 de Julho de 2016 - 15h03

Por Carlos Rodrigues

Torcida bugrina incentivando a equipe

Cedoc/RAC

Torcida bugrina incentivando a equipe

O Guarani martelou, teve domínio completo do jogo e poderia até ter goleado, mas a bola teimou em não entrar, até que, aos 35' do segundo tempo, o meia Renato Henrique, que havia saído do banco, encheu o pé e garantiu a vitória por 1 a 0 sobre o lanterna Guaratinguetá, neste domingo, no Estádio Comendador Agostinho Prado, em Limeira, em partida válida pela 10ª rodada da Série C do Campeonato Brasileiro.

O resultado deixa o Bugre em situação muito boa na briga pela classificação. O time lidera com folga o grupo B com 21 pontos - quatro de diferença para o vice-líder Boa Esporte, e cinco para o Mogi Mirim, quinto colocado. Agora, o alviverde faz dois jogos seguidos em casa. O primeiro é no próximo domingo, às 11h30, contra o Ypiranga, com promoção de ingressos. De quarta até sábado, todos os setores custarão R$ 10.

A partida em Limeira teve dez minutos de equilíbrio. Em um gramado extremamente irregular, o Guarani precisou de algum tempo para se adaptar. Apesar dos erros de passe e dificuldades no domínio, logo a equipe visitante tomou o controle do jogo. Assim, começaram as oportunidades. Em dois lances em sequência, aos 11', Marcinho cruzou e Deivid finalizou com perigo. Aos 18', Fumagalli recebeu de Marcinho, bateu de primeira e Flaysmar espalmou.

Auremir quase marcou um golaço, aos 26'. O volante recebeu e, da intermediária, soltou a bomba, que explodiu no travessão. Muito superior ao Guaratinguetá, o Bugre achava espaços de todo jeito, principalmente pelo lado esquerdo e a dupla Gilton-Marcinho funcionava bem. A bola sempre rondava a área adversária, mas faltava eficiência no último passe.

O panorama não mudou no segundo tempo. Era jogo de um time só. Só que o Guarani baixou a intensidade e, apesar de frequentar o campo do rival, tinha menos volume. Chegou aos 7', em chute de Alex Santana e depois só aos 21’, em conclusão perigosa de Marcinho.

O técnico Marcelo Chamusca resolveu mexer e colocou Denis Neves e Renato Henrique. As alterações surtiram efeito e o Bugre voltou a pressionar. O lateral-esquerdo, atuando mais adiantado, quase marcou aos 32', em chute de muito longe que bateu na junção da trave com o travessão. No minuto seguinte, o Guará deu o único susto da partida, mas Leandro Santos apareceu bem para abafar a conclusão de André.

Aos 35' a insistência bugrina foi recompensada. Gilton cruzou, Flaysmar tirou parcialmente e Renato Henrique, livre, pegou a sobra e encheu o pé na bola, que bateu no travessão antes de morrer no fundo da rede.

O gol liquidou o jogo. A torcida bugrina, maioria absoluta entre os 780 presentes no estádio, fez a festa e bastou esperar o apito final pro Guarani comemorar mais uma importante vitória.

Os bugrinos elegeram a persistência como a principal virtude do time na vitória sobre o Guaratinguetá, ontem. Depois de pressionar a partida inteira, o ti teve a insistência coroada aos 35’ do segundo tempo.

“Feliz pelo resultado e pela performance do time”, destacou o técnico Marcelo Chamusca. “Foram 25 finalizações contra 5, 9 escanteios a 1. Números que mostram a superioridade que o Guarani teve nos 90 minutos. Em nenhum momento perdemos o controle, fomos persistentes e o Renato aproveitou uma das chances”, completou o comandante bugrino.

A postura do time em um gramado muito ruim também foi elogiada. “Apesar do campo irregular, colocamos a bola no chão, tivemos muitas chances. A equipe fez por merecer”, comentou o meia Fumagalli, que, apesar da boa vantagem do time na classificação, voltou a pedir pés no chão.

“É degrau por degrau. A vantagem que nós temos dá alguma tranquilidade. Agora são dois jogos em casa darmos mais um passo”. 

GUARATINGUETÁ

Flaysmar; Kauê, Victor e Henrique; Guilherme (Adriano – Int.), Samuel, Israel (Wellington – 18'/2º), Marcus e Elivelton; André e Anderson (Raí – 28'/2º). Técnico: João Telê.

GUARANI

Leandro Santos; Lenon, Ferreira, Leandro Amaro e Gilton; Auremir e Alex Santana; Marcinho (Denis Neves – 31'/2º), Fumagalli e Deivid (R. Henrique – 25'/2º); Éverton (Pedro – 13'/2º). Técnico: Marcelo Chamusca.

Gol: Renato Henrique, aos 35' do segundo tempo. Renda: R$ 20.000,00. Público: 780 pessoas. Local: Estádio Comendador Agostinho Prada, em Limeira. Juiz: Salim Fende Chavez (SP). Cartões amarelos: Guilherme e Eliveton (GTA) Cartão vermelho: Elivelton, aos 46' do segundo tempo.

 

Escrito por:

Carlos Rodrigues