Publicado 12 de Julho de 2016 - 22h24

Bailarinos em cena de 'Em Algum Ponto de Vista', da companhia Balé da Cidade de Rio Claro

Hebert Caetano / Divulgação

Bailarinos em cena de 'Em Algum Ponto de Vista', da companhia Balé da Cidade de Rio Claro

Proporcionar reflexões profundas por meio da linguagem corporal. Mesmo que tudo seja muito subjetivo, essa é a intenção de Hebert Caetano, criador do espetáculo de dança contemporânea 'Em Algum Ponto de Vista', que será apresentado gratuitamente nesta quarta (13) e quinta-feira (14) no Teatro José de Castro Mendes, em Campinas. Encenado pela companhia Balé da Cidade de Rio Claro, essas são as duas últimas sessões de uma turnê que passou por seis cidades de São Paulo, tudo com o objetivo de levar arte, sem qualquer custo, à comunidade e seus mais variados públicos.

“Nós queremos fazer a população refletir, antes de mais nada. E o feedback que temos recebido nessa jornada prova que conseguimos chegar onde queríamos”, afirma Caetano, bailarino e professor que iniciou os estudos na dança aos 10 anos em Uberaba, Minas Gerais. “É um espetáculo sem nada explícito, não entregamos a informação de bandeja. Tanto o movimento do corpo dos bailarinos quanto a trilha sonora apontam diferentes tipos de reflexão. Afinal, cada um relaciona o que está vendo com o momento que está passando. Quem é ligado a política entende uma coisa, quem tem uma relação forte com a família outra e assim vai”, completa.

A ideia de Caetano é debater sobre as contradições da sociedade contemporânea com a intenção de tornar as pessoas “mais tolerantes”, como ele mesmo define. “O espetáculo faz refletir porque ele faz com que o indivíduo se relacione melhor com as pessoas ao seu redor. Nós falamos sobre a influência da cultura de massa, sobre manipular as pessoas, enfim, diversos temas.”

O criador explica que toda a concepção coreográfica foi montada em laboratórios, primeiro verbais e depois na prática. “Discutimos os contextos do projeto verbalmente e depois no corpo. Assim, poderíamos ver o que os movimentos provocavam nos bailarinos. Alinhei então esses movimentos ao conceito de forma que qualquer espectador, sem pré-conceito, pudesse acompanhar e refletir subjetivamente”, finaliza. Quatro bailarinos encenam o espetáculo, que tem duração de 55 minutos.

Oficinas

Como parte do projeto contemplado pelo Programa de Ação Cultural (ProAC), duas oficinas gratuitas serão ministradas, a partir das 18h30, no próprio teatro, por Hebert Caetano. As aulas, de dança contemporânea, contam com 40 vagas e são destinadas a jovens e adultos, a partir de 13 anos. Os interessados devem se inscrever pelo e-mail [email protected]

Serviço

O quê: espetáculo de dança contemporânea 'Em Algum Ponto de Vista'

Quando: nesta quarta (13) e quinta-feira (14), às 20h30

Onde: Teatro Municipal José de Castro Mendes (Praça Corrêa de Lemos, s/nº, Vila Industrial, Campinas, fone: 3272-9359)

Quanto: entrada franca (os ingressos devem ser retirados uma hora antes da sessão)