Publicado 12 de Julho de 2016 - 8h32

Por Da agência ANSA/ Brasil


Divulgação

"Amy e Blake", que possui uma forte dose de realismo e autocrítica, será lançado na Itália no próximo dia 18 de julho

A curta vida de Amy Winehouse, que morreu aos 27 anos de idade, em 2011, por causa de intoxicação alcoólica, terá uma nova biografia.

Escrito por Georgette Civil, mãe de Blake Fielder-Civil, seu ex-marido, com o apoio do especialista em biografias John McDonald, o livro traz uma narrativa em primeira pessoa sobre a vida do casal que era descrito como "amaldiçoado" pelos tabloides.

"Amy e Blake", que possui uma forte dose de realismo e autocrítica, será lançado na Itália no próximo dia 18 de julho. O amor dos dois, de acordo com a mãe do cantor, tornou-se mais destrutivo e outra dependência para eles, além da química.

Atualmente, a ex-sogra da cantora trabalha em um albergue que fornece suporte para sem-teto. Com exclusividade, a editora italiana do livro concedeu alguns trechos da nova publicação à ANSA. Georgette Civil faz um registro muito direto da fragilidade e da crise violenta de Amy. No entanto, segundo ela, a morte da estrela "foi um choque doloroso e inesperado".

Confira um trecho da biografia:

"Lembrei-me dos telefonemas, sua voz. 'Momsie, o nosso menino é tão bonito. Eu o amo.' Minha mente voou em todos os momentos que compartilhamos, bons e maus, alegres e tristes. Eu queria voltar a fazer algo, mas não foi possível. Por que eles deixaram que o vício destruísse suas vidas? Nós poderíamos fazer mais, eu e Mitch? Eu não poderia responder por ele, mas por mim, sim, eu poderia. 'Não chore, momsie. Não quero feri-lo. Nós não queremos fazer mal a ninguém'. Eu queria passar um último dia com ela, dizer-lhe o quanto eu sentia e o quanto eu tinha sido ferida, não por ela, mas por esse mundo ruim. Blake sabia que ele ainda a amava, e eu estava com medo do que viria a seguir."

Escrito por:

Da agência ANSA/ Brasil