Publicado 25 de Julho de 2016 - 6h30

Por Milene Moreto

Depois de um mês de recesso parlamentar, as sessões da Câmara de Campinas retornam na próxima segunda-feira. Todos os vereadores são pré-candidatos à reeleição em outubro, com exceção de Artur Orsi (PSD), que vai concorrer à Prefeitura. Com as atenções dos parlamentares voltadas à campanha, a tendência é que haja mais discursos na tribuna do que a apresentação de projetos de lei. A produção parlamentar, que já anda baixa, deve cair ainda mais até o final do ano.

Pautas

Entre uma campanha eleitoral e outra, os vereadores terão que encontrar tempo para votar propostas importantes no segundo semestre, como os projetos de lei do Poder Executivo que estabelece o orçamento para o próximo ano, estimado em R$ 5,4 bilhões, o Plano Diretor e a Lei de Uso e Ocupação do Solo. Outro projeto de lei que pode ser analisado pelos vereadores até o fim do ano é a regulamentação do Uber e aplicativos de transporte individual de passageiros.

FRASE

"Não acredito que vai haver esvaziamento das sessões e elas vão continuar normalmente. Pode ser até que aumente os debates" - Do presidente daCâmara de Campinas, Rafa Zimbaldi (PP), sobre as sessões parlamentares durante o período eleitoral.

Normalidade

O presidente da Câmara, Rafa Zimbaldi (PP), afirmou que as sessões ordinárias deverão ocorrer naturalmente no segundo semestre, mesmo com os parlamentares em campanha. Para ele, o ritmo das votações e apresentação de projetos não sofrerá impactocom o período eleitoral.

Clima tenso

O tradicional embate entre vereadores da base governista e da oposição na Câmara deve ficar ainda mais acirrado após o fim do recesso parlamentar. Com a aproximação da eleição, os dois lados devem subir o tom dos discursos nos microfones visando abocanhar votos decisivos.

Aviso

O presidente da Câmara, porém, promete coibir o uso eleitoral da tribuna durante as sessões do segundo semestre. Ele encaminhou aos vereadores um ofício lembrando que a ação é irregular e que o vereador que fizer campanha nos microfones da tribuna estará sujeito à sanções previstas na legislação eleitoral. Zimbaldi disse que a responsabilidade dos discursos é de cada parlamentar, mas nunca é demais lembrar...

Definições

A semana será decisiva para a consolidação do cenário eleitoral de Campinas. Até domingo pelo menos 12 partidos farão as convenções partidárias para homologar as coligações, candidatos a prefeito, vice e vereador. Por isso, esses últimos dias serão de muitas articulações e conversas nos bastidores. As coligações majoritárias estão praticamente definidas, mas as coligações proporcionais, para a eleição de vereador, ainda estão em aberto.

Estatística

O TSE divulga nesta segunda-feira (25) os dados do eleitorado para as eleições municipais. O presidente do Tribunal, o ministro Gilmar Mendes, vai divulgar quais os municípios possuem o maior e o menor número de eleitores, a faixa etária e os locais em que a votação ocorrerá com identificação biométrica. Também será divulgada a lista dos municípios com mais de 200 mil eleitores, nos quais poderão ocorrer o segundo turno.

Polícia Militar

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) sancionou a lei que muda as regras para o ingresso na Polícia Militar.

A nova lei diminui o limite de altura em cinco centímetros. As mulheres, que antes deviam ter pelo menos 1,60 cm, agora podem ingressar com altura mínima de 1,55 cm. Os homens, de 1,65 cm para 1,60 cm. Outra mudança está na idade para participar do concurso. O ingressante precisa ter entre 17 e 30 anos, ou 35 anos para os quadros específicos (Oficiais de Saúde e Músicos).

Escrito por:

Milene Moreto