Publicado 23 de Julho de 2016 - 17h37

Por Gustavo Abdel

Frederico Husemann, da Evolua Motor, e o modelo F-340 Spider V-8, ano 2009, avaliado em R$ 820 mil: veículo está em processo final de venda

Dominique Torquato/AAN

Frederico Husemann, da Evolua Motor, e o modelo F-340 Spider V-8, ano 2009, avaliado em R$ 820 mil: veículo está em processo final de venda

Símbolo do alto luxo, o mais famoso dos superesportivos — ou o mais próximo de um carro de corrida que se pode guiar sem licença profissional —, a marca Ferrari tem 455 veículos registrados no Estado de São Paulo, e Campinas é a segunda com maior número de proprietários: são 23 registros. De acordo com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-SP), somente na Capital são 283, e as demais circulam pelo Interior.

O órgão de trânsito também divulgou a idade de alguns deles. O mais antigo é uma Ferrari 166, de 1950. Outras raridades que estão registradas por aqui são a 250 GTE 1961 e a 330 GT Coupé (1966). Em Campinas são quatro lojas que vendem a máquina de fabricação italiana, e os proprietários afirmam que volta e meia há compradores e colecionadores atrás das “joias”.

Tanto é que em breve a cidade passará a ter 24 ferraris cadastradas. Isso por que na loja do Frederico Husemann, a Evolua Motor, a Ferrari modelo F-430 Spider, V-8, ano 2009, avaliada em R$ 820 mil, está com o processo da venda quase finalizado. Como não é uma compra de um veículo “normal”, há uma série de exigências para o futuro proprietário, mas em breve a máquina estará em circulação.

“Nos últimos cinco anos vendi pelo menos quatro Ferraris. A pessoa está adquirindo uma joia, e em alguns casos chega-se a trocar até três carros por uma Ferrari”, contou Husemann. O modelo foi vendido para um campineiro, empresário do ramo de combustíveis, e sairá da loja com todas as revisões necessárias. Só o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) deverá sair por R$ 40 mil. “Ela chegou há 15 dias, e levamos uma semana para colocar à venda (fazer revisões).” Ou seja: a venda foi rápida.

Como boa parte da frota é formada por Ferraris antigas, cujo preço não é estimado nem mesmo pelos proprietários, fica difícil afirmar qual a mais cara. Contudo, entre as mais novas, a mais cara segundo o preço de tabela é a F-12 Berlinetta, que no modelo zero quilômetro custa R$ 3,6 milhões. Na André Veículos, no Nova Campinas, em breve chegará uma Ferrari modelo F-458, ano 2012, e será vendida a R$ 1,3 milhão. Hoje a loja oferece uma F-458, ano 2010, por R$ 970 mil.

De acordo com o gerente da loja, Rafael Rueda, a sazonalidade na venda de uma Ferrari é observada. “Tem vezes que vendemos duas no mês, e aí demora mais três ou quatro meses para sair outra”, contou. Para ele, Campinas vende muito mais do que apenas as 23 registradas na cidade. “Nosso público é do Sudeste e Sul do País. Em 80% das vendas é o próprio comprador que aparece na loja”, explicou.

Escrito por:

Gustavo Abdel