Publicado 20 de Julho de 2016 - 15h04

Por Jaqueline Harumi

Sala de aula da Escola Municipal CIC Eduardo Von Zuben, na Capela, destruída por incêndio

Divulgação

Sala de aula da Escola Municipal CIC Eduardo Von Zuben, na Capela, destruída por incêndio

Todas as escolas municipais, unidades de saúde e centros esportivos de Vinhedo contarão com alarmes e câmeras interligados com a Guarda Municipal para o combate de vandalismo após a Escola Municipal CIC Eduardo Von Zuben, na Capela, ser alvo de incêndio na madrugada do último sábado (16) e outras quatro áreas públicas serem danificadas no período de uma semana. As unidades de ensino terão ainda botão de pânico que acionará automaticamente equipes da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e da GM, que poderá ser acionada também mediante disparo de algum alarme. A corporação ainda terá acesso em tempo real às câmeras de monitoramento.

Segundo a Prefeitura, o objetivo com as medidas é proporcionar tranquilidades aos frequentadores e minimizar os estragos causados, caso eles ocorram, no entanto não foi estipulado um prazo para que tudo saia do papel. A Administração Municipal afirma que o processo de licitação para a implantação do sistema de alarmes e monitoramento começará assim que for concluído o levantamento de custos que está em andamento. O sistema abrangerá todas as 32 escolas municipais, de ensino infantil, fundamental I e II - duas delas abrigam a Educação de Jovens e Adultos (EJA) -, nas oito unidades de saúde, incluindo o Centro Médico e a Policlínica, e nos quatro centros esportivos.

Atualmente apenas alguns dos prédios possuem câmeras, cujas imagens são acessadas após o ocorrido e não em tempo real. No caso do incêndio do fim de semana, a existência de equipamentos não impediu a destruição, que atingiu a estrutura do telhado e as instalações do pátio recreativo, mas permitiu a identificação de três suspeitos. Os vândalos, todos menores de idade, atearam fogo no pátio que dá acesso às salas de aula dos alunos do ensino fundamental I e ele se alastrou. Os jovens foram apreendidos pela GM e apresentados na delegacia, da onde foram encaminhados à Vara da Infância e da Juventude. De acordo com a Prefeitura, dois eles já respondiam a outros processos em liberdade assistida.

Cinco dias antes do incêndio, bancos foram retirados e arremessados dentro da Represa I. Na semana anterior, foram registrados outros três atos de vandalismo. A caixa de energia do Centro Esportivo Carlos Luiz Saltori, no Jardim São Matheus, foi destruída e a fiação elétrica furtada, suspendendo as aulas das escolinhas esportivas e o uso das piscinas. Com a situação, os treinamentos das equipes de handebol tiveram que ser transferidos para a Capela. Já a Unidade Básica de Saúde do bairro Casa Verde teve a fechadura de uma das portas arrombada, mas nada foi levado, e o Centro de Educação Infantil (CEI) Branca de Neve foi invadido e teve as paredes pichadas com tintas que seriam usadas na manutenção da unidade.

A Administração Municipal esclareceu que representantes registraram Boletim de Ocorrência de todos os casos e esperam que os responsáveis sejam punidos. "Repudiamos qualquer ato de vandalismo realizado em prédios públicos e por isso montamos uma comissão para trabalhar e acompanhar ocorrências deste tipo. Agimos rápido para não prejudicar o atendimento ao público" , afirmou o prefeito Jaime Cruz (PSDB), que pretende ter acesso ao sistema em seu gabinete nos casos de acionamento do botão de pânico.

Segundo o prefeito, a recuperação da Eduardo Von Zuben deve acontecer a tempo de garantir o atendimento dos alunos após o recesso escolar, mas ainda é preciso fazer o levantamento de custos, os bancos da Represa I foram retirados e a fiação do centro esportivo foi instalada. Apesar da intenção de recuperar a escola da Capela ainda no período de recesso, os alunos das oito salas de aulas de Ensino Fundamental II que tiveram a estrutura de telhado atingida devem ser remanejados, já que as aulas serão retomadas na próxima quarta-feira. Ao todo, foram retiradas 118 carteiras escolares, 121 cadeiras e seis mesas de professor que ficaram destruídas.

Escrito por:

Jaqueline Harumi