Publicado 13 de Julho de 2016 - 22h26

Recentemente, a Embrapa colaborou com o governo municipal para ações relacionadas ao combate ao mosquito Aedes aegypti

CEDOC

Recentemente, a Embrapa colaborou com o governo municipal para ações relacionadas ao combate ao mosquito Aedes aegypti

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) foi criada em 1973 com a missão de viabilizar soluções para o desenvolvimento sustentável do agronegócio por meio da geração e transferência de conhecimentos e tecnologias. A cidade de Campinas conta com três unidades e atualmente 187 empregados, sendo 70 pesquisadores. A Embrapa participa do Conselho Curador da Fundação Fórum de Apoio à Pesquisa e ao Desenvolvimento de Campinas e Região (Fórum Campinas) e do Agropolo Campinas-Brasil. No campus da Unicamp, em 1985, foi implantada a Embrapa Informática Agropecuária, com o objetivo de aplicar a tecnologia da informação (TI) à pesquisa agropecuária. Atua em computação aplicada à agricultura visando prover conhecimento e soluções em áreas de interesse nacional como zoneamento agrícola de risco climático, adaptação e mitigação dos efeitos das mudanças climáticas, uso sustentável dos recursos naturais, automação, agricultura e pecuária de precisão.

Recentemente, a Embrapa colaborou com o governo municipal para ações relacionadas ao combate ao mosquito Aedes aegypti

Também desenvolve pesquisas em bioinformática e biologia computacional, em especial na prospecção de dados genômicos e proteômicos. Possui equipes multidisciplinares, laboratórios com moderna infraestrutura computacional e rede de computadores de excelência. Conta com 110 empregados, sendo 48 pesquisadores.

Em 1989, Campinas ganhou, no Jardim Chapadão, a Embrapa Monitoramento por Satélite, que atua na aplicação de geotecnologias para o desenvolvimento de sistemas de inteligência territorial estratégica com a integração e análise de informações em várias escalas, voltados para a gestão e o monitoramento da agricultura e para o apoio à tomada de decisão e à elaboração de políticas públicas para o setor. Em Campinas, possui um histórico de cooperação com o governo municipal. Recentemente, colaborou para ações relacionadas ao combate ao mosquito Aedes aegypti, com a espacialização das notificações de dengue na cidade, e também com a gestão da arborização urbana, por meio de levantamento elaborado a partir de imagens de satélite. Seu quadro atual de empregados conta com 67 profissionais, sendo 21 pesquisadores. 

Mais recentemente, em 2011, a cidade ganhou mais uma unidade no Jardim Chapadão: Embrapa Gestão Territorial. Busca, através dos serviços prestados, tornar o conhecimento do território brasileiro mais acessível aos gestores, para possibilitar-lhes visões e decisões estratégicas. Está capacitada a produzir e interpretar dados, geoestatísticas e mapeamentos, apresentando-os em estudos, relatórios e sistemas informatizados.