Publicado 11 de Julho de 2016 - 8h25

Por Maria Teresa Costa

Vista da cidade de Dongguan, situada em uma das regiões mais ricas da China, tem 10 milhões de habitantes

Divulgação

Vista da cidade de Dongguan, situada em uma das regiões mais ricas da China, tem 10 milhões de habitantes

O anúncio da abertura de um escritório internacional, em Dongguan, na China, que será instalado para facilitar a aproximação entre empresários campineiros e chineses, teve grande repercussão e atraiu o interesse de várias empresas da cidade. Segundo o diretor de Cooperação Internacional da Prefeitura de Campinas, Marcello Von Schneider, somente na manhã de ontem 12 empresários procuraram a Administração para participar do empreendimento e da comitiva campineira que viajará ao país asiático em novembro para inaugurar o escritório. As salas serão cedidas pela Câmara de Comércio Brasil-China, que está instalando sua sede em Dongguan, e não terá nenhum custo para o município ou para as empresas. A Prefeitura planeja firmar parcerias semelhantes em outros países para ampliar as relações comerciais e os próximos alvos são Portugal e Estados Unidos.

O escritório na cidade chinesa terá uma estrutura completa aos empresários disponibilizada gratuitamente aos campineiros, com salas de reunião, internet, telefone, secretária bilíngue e materiais de divulgação de Campinas e região. O espaço será uma base de apoio para o contato com empresas chinesas e também de empresas brasileiras que queiram se instalar no país asiático.

“A repercussão tão rápida realmente me surpreendeu. Mas temos visto que as empresas têm muito interesse em criar relacionamento com a China. O mercado chinês é muito atrativo, mas ficamos receosos por não conhecer a cultura e a língua e não saber como fazer os negócios. Vieram muitas pessoas nos parabenizar e conhecer o projeto”, explicou Von Schneider. O escritório será inaugurado em novembro. Na ocasião, será definida a logística de utilização das salas aos empresários campineiros interessados em fazer negócios com empresas chinesas.

“Essa dinâmica nós vamos deixar para acertar em novembro, quando o escritório será entregue com toda a estrutura. Vamos esperar ficar pronto para entender o tamanho e como será feito.”

Uma das empresas que procurou a Prefeitura disposta a utilizar as instalações do escritório internacional na China é o escritório de advocacia Lemos & Associados. Segundo o sócio Artur Lemos, a iniciativa é uma porta de entrada para empreendimentos campineiros num dos mercados que mais crescem no mundo.

“Nós temos o maior interesse em participar dessa atitude bastante meritória da Prefeitura, para poder ter uma base para apresentações e ajudar aqueles que querem vir ao Brasil, principalmente à região de Campinas”, afirmou Lemos. “Vi a notícia e me apressei em ligar ao Marcelo e falar da disponibilidade. O retorno foi muito bom.”

Von Schneider contou que a Administração negocia a parceria com câmaras de comércio de outros países para firmar parceria semelhante e facilitar na abertura dos mercados europeu e norte-americano. Além disso, a ideia é que a cidade também viabilize escritórios na cidade para empresários estrangeiros que quiserem conhecer o potencial da região. “Quando fizemos essa parceria com os chineses, ventilou-se a possibilidade de ter escritórios em Portugal e em Indianápolis, nos Estados Unidos. Estamos negociando para ver se essas estruturas conseguem absorver esse custo.”

Dongguan

Localizada no Sul da China, na província de Guangdong, Dongguan é uma das regiões mais ricas da China. Centro industrial com 10 milhões de habitantes, a região é composta por muitas fábricas de equipamentos de telecomunicações, tecidos e móveis. A cidade é conhecida também por ter a maior comunidade de brasileiros do país asiático — são mais de 3 mil vivendo em Dongguan.

A maioria é do polo calçadista do Vale dos Sinos, no Rio Grande do Sul, e começou a migrar para a China nos anos 1990, diante da perda de competitividade da indústria nacional para os chineses.

Escrito por:

Maria Teresa Costa