Publicado 13 de Novembro de 2015 - 19h56

Por Bruno Bacchetti

Bruno Bacchetti

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

Os números da temporada não deixam dúvidas da dependência de Fumagalli para o Guarani. O veterano jogou 35 das 37 partidas do Bugre neste ano e foi o artilheiro do time em 2015, com 15 gols. Embora reconheça a importância do jogador para o Guarani, o técnico Pintado pretende mudar essa realidade e dividir a responsabilidade do meia com jogadores experientes que foram contratados para a Série A2. "É injusto a gente só fazer o Fumagalli carregar isso. A ideia foi trazer outros jogadores que também tenham história, o mesmo peso e que já tenham sentido o sabor de conquistar títulos. Então isso foi um ponto fundamental para contratar jogador", afirmou Pintado.

Dos nove reforços anunciados nesta semana, o goleiro Gatti, o zagueiro Mateus Alves e os atacantes Max e Flávio Caça Rato surgem como possíveis líderes do elenco para a próxima temporada, pela experiência e passagem por grandes clubes. Revelado pelo Cruzeiro, o goleiro assinou contrato na última quinta-feira e será apresentado

hoje, no estádio Brinco de Ouro, puxando a fila dos novos contratados.

O treinador bugrino ressaltou que a importância de Fumagalli vai muito além da bola nos pés. Com mais de 200 jogos com a camisa do Guarani e 60 gols marcados, o jogador exerce liderança natural no elenco bugrino, principalmente com os mais jovens. "O Fumagalli tem um papel além das quatro linhas e isso eu tenho conversado muito com ele. Sem falar em quanto tempo mais ele vai jogar, mas como ele vai jogar. A gente sabe do potencial do Fumagalli próximo do gol e dentro da área adversária, ele mostrou isso no Brasileiro", elogiou Pintado.

Jogando mais próximo do ataque, Fumagalli marcou nove gols em 18 jogos na Série C e ficou entre os principais goleadores da competição. Somente Guilherme Queiroz, da Portuguesa, que fez 12 gols, e Leandrão, do Brasil (RS), com 11, fizeram mais gols que o meia do Guarani na Série C.

Escrito por:

Bruno Bacchetti