Publicado 09 de Novembro de 2015 - 18h48

Por Bruno Bacchetti

Bruno Bacchetti

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

A Federação Paulista de Futebol (FPF) divulgou ontem, durtante o Conselho Arbitral, a fórmula de disputa da Série A2 do ano que vem, e a principal novidade é a volta do mata-mata. A competição será disputada em turno único e os oito primeiros colocados se classificam para às quartas de final. Os clubes classificados se enfrentam em jogos de ida e volta até a final, que será disputada em partida única. Os últimos seis colocados serão rebaixados à Série A3. A competição terá início no dia 31 de janeiro e terminará em 8 de maio.

A cota pela participação do campeonato será bem maior no ano que vem. O valor vai depender de uma série de requisitos e o Guarani receberá cerca de R$ 800 mil. Neste ano, o valor foi de apenas R$ 180 mil. Assim como acontecerá no Paulistão, foi aprovado que os clubes não poderão trocar de técnico entre si na competição. Ou seja, um treinador que iniciar a Série A2 dirigindo um clube não poderá comandar outro time da mesma série. Também foi mantido o limite de inscrição em 28 jogadores, sendo três goleiros. Eles poderão ser substituídos até o dia 4 de março em caso de contusão, desde que apresentado laudo médico.

Para o superintendente de futebol do Guarani, Waldir Lins, a nova fórmula de disputa da Série A2 vai deixar o campeonato mais equilibrado. "É bom para a competição, porque com a classificação de oito times terá competitividade até a última rodada", afirmou.

O presidente Horley Senna foi um dos dirigentes que votou favorável ao formato de mata-mata, porque acredita que o sistema pode beneficiar o Bugre. "O Guarani é grande e forte e coloca 10 mil torcedores no Brinco de Ouro tranquilamente. isso pode fazer a diferença num jogo decisivo", disse o dirigente. Sobre a cota pela participação Horley desconversou e não confirmou a verba. "Esse valor vai depender de muitos fatores, pode chegar neste montante (R$ 800 mil), mas tem uma série de coisas, como salário em dia, tempo na A2. Não dá para saber", completou.

Marília, Bragantino, Penapolense e Portuguesa foram rebaixados no Paulistão deste ano e estarão entre as novidades na Série A2 em 2016. Os clubes que conquistaram o acesso na Série A3 foram Atibaia, Juventus, Taubaté e Votuporanguense. No entanto, a vaga do Atibaia ficou com o Barretos, quinto colocado na Série A3. Isso porque o Atibaia não tem recursos para reformar o estádio Salvador Russani, que não preenche os requisitos para a Série A2. O Barretos, inclusive, participou do Conselho Arbitral. Outra pendência está entre Água Santa e Mirassol. O time de Diadema conquistou o acesso para o Paulistão no ano passado, mas o atraso na reforma do estádio pode fazer o Mirassol, quinto colocado neste ano, herdar a vaga na elite.

Frase:

"Essa nova fórmula da Série A2 valoriza o campeonato e é mais coerente", Horley Senna.

Escrito por:

Bruno Bacchetti