Publicado 09 de Novembro de 2015 - 16h07

Por Alenita de Jesus

Alenita Ramirez

[email protected]

Foto: Alenita Ramirez

O corpo de um menino de 11 anos foi achado por volta das 9h de ontem na lagoa que fica nos fundos da empresa Itatex, entre o Jardim Florence 2 e Residencial São José, em Campinas. A criança foi encontrada boiando por um grupo de pelo menos oito amigos, que foram nadar no local. O corpo foi identificado como sendo do estudante Arthur Rogério da Gama Neiva, morador na Vila Princesa D´Oeste, região do Jardim Rosim.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o corpo estava na lagoa havia por pelo menos dois dias, e a criança apresentava um corte na cabeça. "Não sabemos se o ferimento foi provocado pelo pulo ou se foi feito antes da queda na lagoa", disse o sargento William Florêncio da Costa.

O caso será investigado pela Polícia Civil. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) e foi reconhecido pela avó da criança.

O menino estava na casa da avó, no Jardim Satélite Iris 3, e saiu por volta das 8h do sábado dizendo que ia jogar bola com alguns amigos. Como a criança não voltava, no começo da tarde, a avó saiu em busca dele pelo bairro e foi informado por alguns garotos de que Arthur tinha comentado que ia visitar um amigo da escola no Residencial Sirius. Os familiares foram no residencial em busca do garoto, mas não o encontrou.

Na manhã do domingo, a família fez boletim de ocorrência de desaparecimento e ontem de manhã avisou o motorista da perua escolar sobre o desaparecimento do menino. O motorista escolar passava pela lagoa quando soube da localização de um corpo e avisou a avó.

O grupo de crianças que acharam Arthur é moradora do Residencial Sirius e contou que a garotada costuma nadar na lagoa. “Vem gente de todos os bairros da região. Aqui é o clube com piscina do pobre”, disse um adolescente de 14 anos.

O grupo era composto por meninas e meninos. A garotada estava na beira da lagoa, do lado do Jardim Florence 2 quando avistou o corpo boiando. “A gente falou para um monte de gente que passava na rua, mas ninguém acreditou. Então chamamos uma senhora que estava na frente de uma casa e ela viu e chamou a polícia”, relataram.

O corpo estava nu. Perto de um barranco, os meninos acharam uma camiseta de criança.

Escrito por:

Alenita de Jesus