Publicado 09 de Novembro de 2015 - 14h59

Por Alenita de Jesus

Campinas

Foto: Alenita Ramirez

Uma cozinheira de 39 anos foi morta com ao menos 16 facadas espalhadas pelo corpo, ontem de madrugada, na Vila Formosa, em Campinas. A Polícia Civil vai investigar a motivação do crime e até ontem a tarde ainda não tinha suspeitos. A mulher foi assassinada a cerca de 100 metros de um bar onde estava. O corpo será enterrado hoje no Cemitério dos Amarais. Só nestes nove primeiros dias de novembro foram sete homicídios. Até setembro eram oito o número deste crime na cidade.

O crime foi por volta da 1h50 na Rua Ademar Pereira de Barros. Simone Nogueira de Araújo foi achada agonizando por moradores que chamaram a Polícia Militar (PM). Ela estava de bruços e morava há pelo menos três meses, com uma filha de 16 anos, e um neto pequeno, em uma casa na rua de trás onde ocorreu o crime.

Segundo relatos da filha para a polícia, Simone tinha saído de casa por volta das 18j do domingo dizendo que iria na casa de uma amiga pagar uma dívida sobre compra de xampú e depois passaria em um bar. A garota estava em casa quando o seu namorado foi avisá-la sobre o crime.

Amigos da cozinheira disseram que não sabem o que ocorreu e que ela não tinha desavenças. Já moradores do bairro alegaram que era costume ver a vítima em bares do bairro. O caso será investigado pelo Setor de Homicídios.

Uma pensionista de 75 anos tomou um banho de balde e ainda foi agredida por uma vizinha de 60 anos, anteontem à tarde, na região central de Campinas, durante um bate-boca. Segundo a polícia, as idosas moram em um prédio na Rua Cônego Ciprião e no período da tarde, a pensionista achou o protetor de porta do seu apê encharcado com um líquido fedido, que infectou o seu imóvel. Ela então seguiu até a vizinha e reclamou. Houve uma discussão e a vizinha deu golpes de faca na idosa. Em seguida, ela pegou um balde com água e deu um banho na pensionista, que também levou uns tapas. A idosa chamou a polícia, que a socorreu, mas não achou a vizinha nervosona. O caso foi registrado como ameaças e lesão corporal.

Escrito por:

Alenita de Jesus