Publicado 15 de Novembro de 2015 - 0h00

Eduardo Gregori

Janaína Ribeiro/Especial para a ANN

Eduardo Gregori

Foto: Janaína Ribeiro/Especial para a ANN

Eduardo Gregori

Eduardo Gregori

No início da semana que passou, publiquei em meu perfil no Facebook, o link de uma reportagem do Correio.com sobre o fim dos voos diários da American Airlines entre Viracopos e Miami. Os voos passarão a ser sazonais. Com o fim da operação, a companhia norte-americana deixa de vez o nosso aeroporto.

O que me choca, mais do que a saída da American, da Copa e do fim do voo da GOl para Miami, é ver o Facebook se transformar em um verdadeiro terreno fértil para o ódio. Momentos depois do meu post, algumas pessoas ironizaram a situação, instigando outras não ao debate, mas a agressões mútuas.

O propósito do post foi apenas compartilhar a informação com as pessoas e, como a reportagem em si, assinada por mim, prestou-se meramente a informar o leitor. Não fiz análises, nem elucubrações sobre o porquê de a American ou outras companhias aéreas estarem deixando o aeroporto.

E é nesse calor de discussões virtuais que as pessoas mais revelam o quão pequeno são os seus pensamentos e convicções. Estou falando de um aeroporto que, com menos voos, perde movimento, passageiros, postos de trabalho, investimentos, e isso em um momento econômico difícil e incerto. Quem perde somos todos nós, que moramos em Campinas. Perdemos em não contribuir para que nossa região cresça e siga em desenvolvimento.

Eduardo Gregori é editor de Turismo do Grupo RAC