Publicado 09 de Novembro de 2015 - 11h15

Por Vilma Gasques

criança, menina

Divulgação/ Reprodução

criança, menina

Num dia, o predomínio é de brincadeiras e o aprendizado se dá por meio do lúdico. No outro, começam os preparativos para as etapas seguintes, há novos amigos, novos desafios, mais disciplinas e, consequentemente, mais professores.

Natural haver uma certa ansiedade entre alunos e pais, não é? Portanto, para que a transição da Educação Infantil para o Ensino Fundamental ocorra de forma tranquila e sem traumas, é preciso ter planejamento e parceria entre escola e família.

Para profissionais de pedagogia do movimento Todos Pela Educação, essa mudança não deve representar uma ruptura. Eles defendem que o trabalho das duas etapas seja o mais coeso e unificado possível, com interlocução entre os professores de ambas.

O movimento sugere que melhorias devem ser feitas para se chegar à transição ideal. Entre as possíveis soluções estão o trabalho conjunto das secretarias que cuidam desses estágios e a participação das equipes das escolas nesse realinhamento, com foco em ações práticas que favoreçam a relação e a convivência entre as crianças das duas fases.

O Todos Pela Educação é um movimento da sociedade brasileira cuja missão é contribuir para que, até 2022, o País assegure o direito a educação básica de qualidade a todas as crianças.

Escrito por:

Vilma Gasques