Publicado 16 de Novembro de 2015 - 10h05

Por France Press

Cinco terroristas foram identificados pelas autoridades francesas desde os atentados

AFP PHOTO / BERTRAND GUAY

Cinco terroristas foram identificados pelas autoridades francesas desde os atentados

Outros dois homens-bomba que participaram nos atentados de Paris na sexta-feira foram identificados, um deles francês e outro com passaporte sírio, que transitou pela Grécia em outubro, anunciou a procuradoria.

A autenticidade do passaporte sírio encontrado ao lado do corpo do homem-bomba no Stade de France ainda precisa ser comprovada, "mas existe uma compatibilidade entre as impressões digitais do homem-bomba e as tomadas durante um controle na Grécia em outubro", afirma um comunicado da procuradoria.

O passaporte está em nome de Ahmad al-Mohammad, nascido em 10 de setembro de 1990 na cidade síria de Idlib.

O governo grego informou no sábado que o indivíduo portador do passaporte encontrado em Paris havia sido registrado na ilha grega de Leros em outubro.

"Chegou à ilha de Leros em 3 de outubro, onde foi registrado de acordo com as regras da União Europeia", afirmou o ministro grego da Proteção aos Cidadãos, Nikos Toskas.

O outro homem-bomba identificado, um dos três autores do massacre na casa de espetáculos Bataclan, é Samy Amimour, um francês com antecedentes judiciais nascido em 15 de outubro de 1987 em Drancy, subúrbio do norte de Paris.

Ele era conhecido pela justiça antiterrorista e foi "indiciado em 19 de outubro de 2012 por associação terrorista para delinquir (projeto de viagem ao Iêmen abortado) e havia sido colocado sob controle judicial", informou a procuradoria de Paris.

Depois de violar o controle no fim de 2013, o francês foi objeto de uma ordem de prisão internacional. Três parentes de Amimour fora detidos e estavam sendo interrogados pela polícia nesta segunda-feira.

Cinco terroristas foram identificados pelas autoridades francesas desde os atentados de sexta-feira, que deixaram pelo menos 129 mortos e 350 feridos, muitos deles em estado grave.

Escrito por:

France Press