Publicado 15 de Novembro de 2015 - 8h08

Por Marita Siqueira

Ceará e o filho Rogério, o herdeiro do boteco

Fábio Mello

Ceará e o filho Rogério, o herdeiro do boteco

Rara nos botecos campineiros, a buchada de bode é a principal iguaria do Bar do Ceará, no Jardim do Lago. O prato, feito com as vísceras e os miúdos enrolados no estômago do animal, preserva o legítimo tempero com a tutela de Ceará, que durante toda a juventude comeu bode assim como nós, paulistas, comemos bife com batata frita. A receita é servida com bastante coentro e o dono do boteco recomenda engrossar o molho com farinha. É assim que se faz nos recôncavos do Nordeste brasileiro, onde muitos mandam ver no bode logo pela manhã, para dar sustância ao dia de trabalho pesado.

Foto: Fábio Mello

Buchada de bode é o carro-chefe do Bar de Ceará, mas lá também tem sarapatel, dobradinha, caldo de mocotó e até um boneco do cantor Falcão em cima do freezer

Buchada de bode é o carro-chefe do Bar de Ceará, mas lá também tem sarapatel, dobradinha, caldo de mocotó e até um boneco do cantor Falcão em cima do freezer

A buchada, sem dúvida, não cabe a todos os paladares, mas tem seus fiéis seguidores, tanto que muita gente atravessa a cidade para degustá-la. Por isso, nunca pode faltar no bar. Os ingredientes vêm de Pernambuco, porque, segundo Ceará, não é fácil encontrar por aqui. Mas o esforço vale a pena para quem quer preservar um pouco da sua cultura em terras distantes.

O patriarca migrou para o Sudeste em 1968 e, desde então, teve bares. São 55 anos no sacerdócio da função “dono de bar”, com a qual conquistou renda e criou a família junto da mulher, a conterrânea Maria. Há dois anos, passou a batuta dos balcões para o filho Rogério, mais conhecido como Cearazinho. Ele assumiu as diretrizes, mas conta com a supervisão do pai, sobretudo na cozinha, de onde também saem, todo santo dia, sarapatel, dobradinha e caldo de mocotó.

O Bar do Ceará foi mais uma dica do amigo Xingu, que me propiciou a primeira experiência com o bode. Àqueles menos abertos a aventuras gastronômicas, o boteco tem outras opções mais comuns, cerveja sempre trincando e uma mesa de sinuca para passar o tempo.

BAR DO CEARÁ

Rua Vasco Joaquim Smith de Vasconcelos, 277, Jardim do Lago, Campinas, f. (19) 3043-1668. Aberto de segunda a sábado, das 9h às 14h e das 15h às 22h; domingo, das 9h às 17h.

Escrito por:

Marita Siqueira