Publicado 09 de Novembro de 2015 - 15h44

Por Raysa Figueiredo / Especial para a Metrópole

alimentação

Diogo Zacarias/Especial para a Metrópole

alimentação

Foto: Diogo Zacarias/Especial para a Metrópole

Horta e aulas de culinária estimulam a adoção de hábitos saudáveis de alimentação entre os estudantes da Brasinha

Horta e aulas de culinária estimulam a adoção de hábitos saudáveis de alimentação entre os estudantes da Brasinha

Mais do que um lugar onde se aprende a ler e escrever, a escola é um ambiente que ensina a criança a viver em comunidade e a auxilia a construir valores. A influência é tamanha que tudo o que o pequeno vivencia ali será levado para casa e para a vida. Por isso, é também o local adequado para o desenvolvimento de ações de promoção à saúde e o incentivo a hábitos de vida saudáveis, especialmente no que diz respeito à alimentação. Dados de 2015 da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso) sobre excesso de peso infantil na região Sudeste apontam que 38,8% das crianças entre cinco e nove anos estão acima do peso; na faixa dos dez aos 19 anos, a porcentagem é de 22,8%.

Foto: Diogo Zacarias/Especial para a Metrópole

"Na fase escolar, a criança constrói seus valores, aprende a viver em comunidade e começa a definir objetivos, sonhos e ambições. Ela começa a se preparar para quem será no futuro e passa a fazer suas escolhas de como viver esse futuro. Se ela conhece o que faz bem e o que faz mal fará as escolhas com consciência e conhecimento. O que a criança aprende e vivencia na escola leva para casa e para toda a vida" (Isabela Bernasconi, nutricionista do Hospital e Maternidade Celso Pierro)

"Na fase escolar, a criança constrói seus valores, aprende a viver em comunidade e começa a definir objetivos, sonhos e ambições. Ela começa a se preparar para quem será no futuro e passa a fazer suas escolhas de como viver esse futuro. Se ela conhece o que faz bem e o que faz mal fará as escolhas com consciência e conhecimento. O que a criança aprende e vivencia na escola leva para casa e para toda a vida" (Isabela Bernasconi, nutricionista do Hospital e Maternidade Celso Pierro)

Para a nutricionista Isabela Bernasconi, do Hospital e Maternidade Celso Pierro, da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), há várias maneiras de cultivar esses hábitos entre a garotada, além do fato de colocar comida boa no prato. “Como uma oficina de culinária na qual as crianças preparam e experimentam receitas saudáveis como salada de frutas, torta de legumes e pão integral”, diz. Confecção de livro de receitas e visitas ao supermercado e a sítios produtores de alimentos também são apontadas pela profissional como ações que proporcionam uma experiência marcante no ambiente escolar.

Na Escola Brasinha, as atividades incluem cuidados com a horta que é cultivada pelos alunos junto da professora de educação ambiental. De acordo com a diretora-geral da unidade, Thiara Pédico Saragiotto, os estudantes são estimulados a experimentar as verduras e os legumes que ajudaram a plantar, cuidar e colher. O efeito desse trabalho, destaca, é verificado em casa, quando muitas das crianças pedem aos pais que lhes ofereçam tais alimentos durante as refeições.

Foto: Diogo Zacarias/Especial para a Metrópole

Na Escola Brasinha, os alunos plantam, cuidam da horta e experimentam os alimentos que ajudaram a cultivar

Na Escola Brasinha, os alunos plantam, cuidam da horta e experimentam os alimentos que ajudaram a cultivar

A atenção à alimentação na Brasinha inclui a adoção de um cardápio para cada faixa etária e o uso de alimentos funcionais e integrais, como sementes de chia, aveia, quinoa, farinha integral, gelatina sem corante e açúcar demerara. Os sucos são 100% naturais, assim como o molho de tomate, produzido na instituição. Já tortas, panquecas, crepes e bolos são feitos com 2/3 de farinha integral. “Em nossa cozinha industrial, as cozinheiras cumprem rigorosamente o cardápio e passam constantemente por treinamentos sob a supervisão e a orientação de nutricionistas”, informa Thiara. Nos últimos anos, a cozinha e o menu passaram por adaptações.

Escrito por:

Raysa Figueiredo / Especial para a Metrópole