Publicado 11 de Novembro de 2015 - 19h05

O rapper Emicida lança, neste sábado, no Campinas Hall, o disco Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa (Natura Musica). O trabalho mescla elementos musicais, culturais e ideológicos vivenciados pelo artista em Cabo Verde e Angola, durante os 20 dias em que esteve na África, no início do ano. A faixa de abertura, Mãe, Mostra Bem o Que Virá Adiante, menciona Malcolm-X, um dos maiores representantes da luta pelos direitos dos negros nos Estados Unidos. “Ele é uma grande referência ideológica, sem dúvida”, afirma Emicida. Não é de hoje que as questões raciais permeiam os verso do cantor, porém estão ainda mais evidentes no recente trabalho. “A história dos negros, de meus antepassados, sempre me interessou. Eu sempre pensei no por quê de eu não saber de que país vieram meus parentes mais distantes. Os brancos sempre sabem dizer se são descendentes de espanhóis, italianos, japoneses etc. Os negros são sempre apenas africanos”, diz.

Para Emicida, a história dos negros não está nos livros escolares e, mais do que isso, é difícil encontrar no Brasil material a esse respeito. “Venho há anos lendo sobre a história da África e a maneira cruel como seus habitantes foram colocados em navios para o Brasil. Então, resolvemos inscrever o projeto que permitiria fazer uma viagem musical a alguns países do continente. A viagem em si é o ponto alto dessa pesquisa”, afirma.

As terras africanas o impressionaram pela musicalidade em todos os cantos, incorporada no cotidiano das pessoas. E para trazer um pouco dessa magia aos palcos brasileiros, a banda que o acompanha, formada por Doni Jr. (cavaco e violão), Anna Trea (guitarra e percussão), Carlos Café (percussão), Samuel Bueno (baixo) e DJ Nyack, ganhou o reforço de Sivuca na percussão. O repertório reúne 14 faixas, com produção de Xuxa Levy, também parceiro de composição.

Parceria

O show faz parte do projeto Natura Musical, e quem abre a noite é a cantora Tulipa Ruiz, que apresenta seu mais recente álbum, Dance. “Faremos dois shows separados, cada um apresentará sua nova turnê, mas temos parcerias de trabalhos anteriores e claro que vai rolar uma participação um com o outro”, antecipa Emicida.