Publicado 13 de Novembro de 2015 - 5h30

Como parte das comemorações do Dia da Consciência Negra, celebrado no próximo dia 20 de novembro, a Prefeitura de Campinas lançou ontem o Programa Afrocultural. A iniciativa incluiu a elaboração de um roteiro afro, formatação de passeios turísticos e capacitação de empreendedores e guias. O objetivo do projeto é valorizar e reconhecer a importância da comunidade negra na construção social, cultural e econômica do município.

O roteiro afro começou a ser elaborado em julho após um workshop sobre turismo étnico brasileiro. Diversas entidades ligadas ao movimento negro foram convocadas e participaram do processo de pesquisa e produção do guia, escrito em inglês e português. A publicação inclui diversos pontos de interesse, inclusive turísticos, além de instituições e vias de Campinas.

O monumento à Mãe Preta é um dos destaques. Localizada em frente à Igreja de São Benedito, é uma réplica da existente no Largo do Paysandu, na Capital paulista, e retrata uma situação vivida por diversas negras na época da escravidão. Muitas eram impedidas amamentar os próprios filhos, mas deveriam dar o leite das próprias mamas aos filhos de brancos.

Também constam no guia, por exemplo, o Palácio da Mogiana, a Casa de Cultura Fazenda Roseira e o Largo das Andorinhas — este último local chegou a abrigar um tronco para aplicação de castigos. Ele traz ainda informações sobre religiosidade, personalidades negras e um calendário com eventos e datas comemorativas. O roteiro será disponibilizado no site oficial da Prefeitura (www.campinas.sp.gov.br), mas também em hotéis, estabelecimentos comerciais e nos três postos de informações turísticas de Campinas, localizados no aeroporto de Viracopos, Rodoviária e no distrito de Sousas.

“O povo negro em Campinas teve uma importância muito grande, no trabalho e na construção e criação dos movimentos culturais. Você olhar para trás e contar a história da cidade, sem reconhecer isso, é uma injustiça com a história”, disse o prefeito Jonas Donizette (PSB).

Segundo o Departamento de Turismo da Prefeitura, a ideia é que o roteiro seja atualizado constantemente. O órgão também trabalha na criação de roteiros turísticos levando em conta o guia elaborado. Dois passeios de ônibus foram promovidos durante o evento Afromix, que aconteceu no último domingo. A expectativa é que eles sejam repetidos futuramente e aproveitados pela rede municipal de ensino, além de serem oferecidos e viabilizados comercialmente por empresas.

Capacitação

A Prefeitura também quer capacitar guias turísticos e empresários para fazer o roteiro sair do papel. O primeiro encontro, sobre Gestão de Turismo Receptivo, acontece no próximo dia 21 de novembro, entre 8h30 e 12h45, no Palácio da Mogiana. As inscrições podem ser feitas pelo www.campinas.sp.gov.br/cursosturismo.

O presidente do Conselho de Desenvolvimento e Participação da Comunidade Negra de Campinas, Tagino Alves dos Santos, disse esperar que os negros da cidade se apropriem desse roteiro, já que eles estarão contando a própria história. “É uma oportunidade de mostrar o quanto caminhamos e o quanto temos que caminhar. É preciso se preocupar e se capacitar para a recepção dos turistas”, declarou.