Publicado 13 de Novembro de 2015 - 5h30

O transporte público de Campinas contará a partir de janeiro com um sistema que permite o reconhecimento dos passageiros por biometria facial. A tecnologia começou ser instalada esta semana nos ônibus e tem o objetivo de evitar o uso indevido dos cartões de usuários que tenham gratuidade na passagem, como é o caso de idosos e de pessoas com deficiência, ou que façam uso dos bilhetes únicos com desconto, como é o caso dos cartões escolares e universitários. O sistema deve custar R$ 6 milhões às concessionárias.

O investimento será feito na aquisição de câmeras, validadores de cartões para toda a frota de Campinas, que corresponde a mil ônibus. A câmera instalada no veículo registra o rosto da pessoa que passa na catraca com o Bilhete Único. Uma central de monitoramento identifica se o cartão pertence ou não à pessoa que está utilizando, a partir da comparação das imagens capturadas dentro do ônibus com as imagens de cadastro. No caso das imagens não serem correspondentes, é feita a rechecagem manual por funcionários. Se confirmada a fraude, o bilhete é bloqueado automaticamente.

Segundo dados da Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc), em outubro deste ano foram transportados 12,3 milhões de passageiros, entre os quais 7,8 milhões pagaram passagem. A empresa calcula ainda que dentro do universo dos 12 milhões, 1,4 milhão de viagens foram realizadas com algum tipo de benefício. Desse total de viagens feitas com algum benefício, a Transurc estima que entre 5% e 10% foram feitas com uso indevido do cartão. “Atualmente, o número de fraudes contra o sistema de transporte público é alto. A utilização de benefícios por quem não tem esse direito acaba onerando o sistema, com prejuízos para toda a população”, afirma Belarmino da Ascenção Marta, presidente da Transurc.

Paulo Barddal, diretor de comunicação e marketing da Transurc, explicou que a câmera faz a identificação do passageiro utilizando vários parâmetros comparativos, como distância entre os olhos, entre o nariz e a boca e outras características que não se alteram na face das pessoas. “Se outra pessoa tiver usando o cartão, o sistema vai bloquear”, afirmou. Até um ano atrás, a fiscalização era feita de forma aleatória nos veículos, por um funcionário. Atualmente, a fiscalização é feita de forma eletrônica. Entre janeiro e fevereiro, a frota das concessionárias, com 1 mil veículos, começa a operar com o novo sistema. Não haverá necessidade de substituição dos cartões.

A mudança no sistema de validação de cartões trará um benefício para os usuários comuns do Bilhete Único, que é a possibilidade de visualizar os créditos adquiridos há mais de 60 dias, já que o novo validador tem capacidade de memória maior. Atualmente, esse tipo de ação somente pode ser feita pelo usuário na sede da Transurc, nos pontos de venda nos terminais e em mais de 300 estabelecimentos da Rede de Recarga.