Publicado 12 de Novembro de 2015 - 5h30

Ao menos 250 alunos da rede estadual de ensino em Americana, segundo a Polícia Militar (PM), protestaram ontem de manhã contra a reorganização das escolas promovida pela Secretaria de Estado da Educação. Os estudantes invadiram a Diretoria de Ensino da Regional de Americana, jogaram bombas caseiras e bolinhas de papel na recepção e quebraram vasos de flores. Foi necessário chamar a PM e dois estudantes de 15 anos foram detidos por desacato.

A concentração dos alunos em frente à diretoria começou por volta das 6h40. Munidos de cartazes, narizes de palhaço e cornetas, os estudantes de três escolas de Americana e também de Santa Bárbara d’Oeste esperaram a abertura do portão de entrada para invadir a diretoria. “A reorganização não foi democrática. Aqui (em Americana) tem uma escola que vai concentrar outras três antigas escolas. Não terá espaço para todo mundo. Muitos dos alunos que estudam à noite vão deixar de estudar por conta da distância”, disse um dos estudantes.

Os manifestantes contaram com apoio de professores, mas o ato foi organizado pelos próprios alunos, segundo eles. O objetivo era chamar a atenção da diretoria e do governo estadual. Como os jovens começaram a impedir a entrada de funcionários no prédio, foi chamada a PM, que foi ao local em ao menos três viaturas.

Segundo os manifestantes, a polícia usou “de força exagerada” e gás de pimenta para tirar os estudantes da área da recepção do prédio. A PM nega. “Os alunos fizeram uma algazarra e estavam provocando danos. Pedimos para evacuarem. Ninguém usou de força, pelo contrário, dois alunos desrespeitaram os policiais e eles foram detidos”, disse o sargento Carlos Maestrello.

Os estudantes foram acompanhados pelo por agentes do Conselho Tutelar à Central de Polícia Judiciária, onde prestaram depoimentos e foram liberados aos responsáveis. Os manifestantes ficaram em frente à diretoria até por volta das 10h, mas prometem realizar um novo protesto hoje, às 14h, na Câmara Municipal de Americana.

Mudanças

Ao todo, 94 escolas da rede estadual de 35 cidades serão disponibilizadas pelo Estado, ou seja, serão fechadas como escola da educação básica e seus prédios serão reaproveitados para outro uso educacional. Segundo o projeto estadual, as escolas começarão a ser divididas de acordo com os ciclos de educação, em unidades de ensino médio, unidades para os anos iniciais (do 1 ao 5 ano) e unidades para os anos finais (do 6 ao 9 ano). As mudanças valem a partir do ano que vem.

Em Americana, três escolas serão fechadas e em Santa Bárbara d’Oeste, 13. A Secretaria da Educação afirma que os pais devem fazer o recadastramento dos alunos no site recadastramento.educacao.sp.gov.br. No dia 14, os diretores de escola vão explicar aos pais e alunos detalhes da transferência e da reestruturação. Os pais também podem solicitar a transferência para uma escola diferente da que foi determinada.