Publicado 15 de Novembro de 2015 - 5h30

O Comitê Olímpico Russo prometeu ontem liderar esforços para reformar a Federação Russa de Atletismo, suspensa pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF) de todas as competições da modalidade, assim como os seus atletas, após a revelação de um escândalo de doping que envolve o país. Por causa do problema, a Rússia corre o risco de não participar dos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, nesta modalidade.

Por meio de uma votação em que foi derrotada de forma massacrante, por 22 votos a 1, a IAAF suspendeu a entidade russa quatro dias depois que um relatório da Agência Mundial Antidoping (Wada) acusar o próprio governo russo de ajudar a acobertar um vasto programa de doping com seus atletas.

"O Comitê Olímpico Russo está preparado para tomar a iniciativa de reformar a Federação Russa de Atletismo de acordo com os requisitos da IAAF e da legislação antidoping", afirmou o presidente da entidade, Alexander Zhukov, por meio de um comunicado.

Considerado um político importante na Rússia e aliado do presidente Vladimir Putin, Zhukov se manifestou dois dias depois de se reunir com o presidente do COI, Thomas Bach. Ontem disse estar "convencido de que as ações do Comitê Olímpico Russo encontrarão o apoio do COI, da Wada e da IAAF".

Hoje haverá uma reunião de emergência dos líderes da Federação Russa de Atletismo no Ministério de Esportes do país, que é liderado por Vitaly Mutko. O ministro admitiu estar disposto a realizar mudanças de dirigentes na entidade para assegurar que a Rússia possa competir na Olimpíada de 2016. "Despedir a todos" seria algo aceitável, disse Mutko. (AE)