Publicado 13 de Novembro de 2015 - 5h30

O doping está para o esporte assim como o Coringa está para o Batman. É um inimigo antigo, incansável, sem limites e que, por mais combatido e derrotado que seja, estará sempre pronto para voltar na competição seguinte. A utilização de drogas que melhoram a performance de atletas desonestos é uma das coisas mais tristes do esporte. O doping não altera apenas o organismo dos que se sujeitam a ele. O doping transforma a honra de um medalhista em vergonha. Despreza e deturpa os valores mais preciosos do esporte. E contamina, com consequências terríveis, corpos que deveriam ser saudáveis.

Casos de doping, assim como os planos do Coringa, são bastante conhecidos, rotineiros até. Ainda assim, o que a Agência Internacional Antidoping descobriu na Rússia é capaz de chocar qualquer um, do mais indignado admirador do Jogo Limpo até aquele que já se conformou com o fato de que o Coringa sempre estará entre nós, por mais que o Batman se esforce.

Não se trata apenas de uma grande quantidade de atletas flagrados por exames de doping. O que impressiona é o complexo esquema armado para que russos se destaquem nas competições mais importantes do planeta.

A investigação que durou quase um ano descobriu que a Federação Russa de Atletismo não dá opção a seus principais atletas. Ou eles usam drogas ou eles não competem. O esquema começou a ruir quando um casal (ele fiscal da agência antidoping russa e ela uma corredora que usou hormônio para ter mais fôlego e resistência) denunciou o caso a uma TV alemã.

Importantes dirigentes do esporte, do governo e da comissão de combate ao doping da Rússia estão sob suspeita. Foi descoberto que envolvidos no esquema destruíram 1.417 amostras de atletas dopados. Nos Jogos de Inverno de Sochi, no ano passado, agentes do serviço secreto russo ficaram permanentemente no laboratório de controle de dopagem. Não estavam lá para oferecer segurança. A missão era intimidar.

A qualquer momento, o Comitê Olímpico Internacional vai anunciar a cassação de medalhas de atletas russos, mas essa deve ser apenas a primeira de uma série de sanções. Existe até a possibilidade de que a Rússia seja excluída das provas de atletismo dos Jogos Olímpicos do Rio-2016.

A investigação ainda não terminou. Vai alcançar mais atletas, técnicos e dirigentes. Pode alcançar outras modalidades. O Coringa é poderoso e fez um estrago enorme. Mas o Batman não pode parar de lutar.