Publicado 13 de Novembro de 2015 - 5h30

O chute do volante Naldo, do Joinville, que acertou o lado direito da face do atacante Felipe Azevedo provocou mais estragos do que se imaginava. A pancada fraturou o maxilar e o assoalho da órbita (osso que faz a proteção do olho). Por isso, o jogador precisou passar por uma cirurgia, ontem de manhã, no hospital Celso Pierro, e só volta aos gramados em janeiro.

A extensão da contusão exigiu quatro horas de trabalho da equipe do cirurgião buco-maxilo e otorrinolaringologista Nilesh Moniz. "Encontramos uma complexidade maior do que a esperada, mas o resultado final foi muito bom", assegura Roberto Nishimura, chefe do departamento médico da Ponte Preta, que acompanhou a cirurgia.

Para corrigir a fratura do maxilar, os médicos fixaram o local com placa e parafuso. E para reconstruir o assoalho da órbita, precisou ser feito enxerto de osso com tela bioabsorvível. "A previsão é de que leve de seis a oito semanas para consolidar a fixação", diz Nishimura. "Neste período, ele não pode fazer treino de alta intensidade", completa.

A jogada que causou tantos danos no rosto do atleta aconteceu aos 11’ do primeiro tempo. Após cobrança de falta da intermediária, o atacante se abaixou para fazer o desvio e o volante acabou subindo demais o pé. Acertou o rosto de Felipe com a canela e recebeu cartão amarelo pelo lance, considerado jogo perigoso pelo árbitro. O pontepretano ficou alguns minutos sendo atendido no gramado e recebeu um curativo no local do corte. Ainda tentou voltar, mas sentiu tontura e voltou a desabar em campo. Pediu para sair e, na descida para o vestiário, já era possível perceber o rosto bastante inchado.

Nos dias que sucederam a lesão, o clube tratou o caso como inchaço natural, mas o quadro não melhorou. Depois de exames mais detalhados, verificou-se que a contusão era bastante complicada e o jogador foi encaminhado para cirurgia.

Além de não poder contar com Felipe Azevedo, o técnico Felipe Moreira espera uma posição dos médicos para poder escalar Diego Oliveira no jogo com o Figueirense, quarta-feira, no Majestoso. O atacante, que é reserva imediato, reclama de contusão muscular na coxa esquerda.

O jogo da Ponte com o Flamengo, marcado para o dia 22, foi transferido do Rio para Brasília. Será o terceiro jogo do rubro-negro no Mané Garrincha neste ano. O primeiro, em janeiro, foi um amistoso com o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, que terminou em 0 a 0. Depois, pela 26 rodada do Brasileirão, o Coritiba venceu por 2 a 0. Os promotores da partida pagarão R$ 1,5 milhão ao Flamengo. (Paulo Santana/Da Agência Anhanguera)