Publicado 13 de Novembro de 2015 - 5h30

O jogo entre Argentina e Brasil, previsto para ontem, às 22h, foi suspenso pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) por causa das fortes chuvas que caíram em Buenos Aires desde o início da noite. O jogo, válido pela terceira rodada das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018, foi adiado para hoje, também às 22h, segundo informou a Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

A decisão de adiar a partida atendeu a uma recomendação do árbitro Antonio Arias, do Paraguai, que fez uma inspeção no gramado do estádio Monumental de Nuñez, do River Plate. O gramado ficou totalmente encharcado, um verdadeiro lago entre às 19h30 e 21h30. Havia ainda a previsão de fortes ventos e até tempestade de granizo para o momento do jogo.

"Foi nos colocada a possibilidade de esperar mais uma hora, para ver se havia condição de jogo. Mas a previsão é que a chuva aumente com possibilidade de granizo, então optamos por jogar amanhã (hoje). A mudança não afetará nosso jogo contra o Peru, terça-feira, em Salvador. Vamos apenas fazer um ajuste na programação", disse Gilmar Rinaldi, diretor de seleções da CBF.

Os jogadores de Brasil e Argentina haviam chegado ao estádio no momento mais crítico do temporal. Eles não foram ao campo para observar as condições do gramado. Ficaram nos vestiários e fizeram um aquecimento para não ficarem parados. Na sequência, retornaram aos hotéis em que estão hospedados por volta das 22h.

Se a chuva der trégua hoje, Neymar fará com a Seleção Brasileira sua estreia nas Eliminatórias, depois de cumprir suspensão de quatro jogos pela confusão com o árbitro chileno Enrique Osses durante a Copa América.

Já a Argentina precisa lidar com desfalques de peso, principalmente no ataque, com as lesões de Lionel Messi, Sergio Aguero e Carlos Tévez.

Os hermanos somam apenas um ponto em duas rodadas, com derrota por 2 a 0 para o Equador na estreia, em pleno estádio Monumental, e empate sem gols com o Paraguai, em Assunção. O Brasil está numa situação mais confortável, mas longe do ideal. Perdeu por 2 a 0 para o Chile na estreia, em Santiago mas venceu a Venezuela por 3 a 1 na segunda rodada, em Fortaleza. (Das agências Estado e France Press)

Equador vence e mantém os 100%

O Equador definitivamente é a grande surpresa deste início de Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, que será na Rússia. Depois de duas vitórias nas duas primeiras partidas, inclusive diante da Argentina em Buenos Aires, a seleção passou ontem por outro tradicional time do continente, o Uruguai, e manteve a campanha perfeita. Em Quito, mostrou um ótimo futebol para fazer 2 a 1 e levar a torcida ao delírio.

Os anfitriões também quebraram a sequência de 100% de aproveitamento do Uruguai, que ficou com seis pontos ganhos. Trata-se do melhor início do Equador na história do torneio.

O Equador abriu o placar aos 23’. Noboa recebeu na intermediária e mostrou muita visão de jogo para dar enfiada perfeita para Paredes pela direita. O lateral cruzou rasteiro para Caicedo, que bateu de primeira. Somente no segundo tempo os visitantes reagiram e Cavani, que até então fazia péssima partida, marcou aos 3’. Lodeiro cobrou falta pela esquerda, o goleiro ficou no meio do caminho e o atacante se antecipou para cabecear para o gol vazio. Mas os equatorianos chegariam ao gol da vitória aos 13’. Montero recebeu com muito espaço pela esquerda, foi avançando e bateu firme assim que entrou na área. Muslera espalmou, mas Martínez apareceu para tocar para a rede.

O outro jogo de ontem foi o duelo entre as duas piores seleções deste início das Eliminatórias. Bolívia e Venezuela tinham tudo para fazer uma partida fraca, sem grandes emoções em campo. Mas o que se viu no estádio Hernando Siles, em La Paz, foi o contrário. Pela terceira rodada da competição, bolivianos e venezuelanos fizeram um jogo cheio de alternativas e gols, com placar favorável aos donos da casa por 4 a 2. O resultado positivo fez com a Bolívia conseguisse os seus três primeiros pontos nas Eliminatórias — em outubro, havia sido derrotada em casa pelo Uruguai e como visitante pelo Equador. Já a Venezuela segue ainda sem pontuar. (AE)

ARGENTINA

Romero; Roncaglia, Otamendi, Funes Mori e Rojo; Biglia, Mascherano, Banega e Di María; Higuaín e Lavezzi. Técnico: Tata Martino.