Publicado 11 de Novembro de 2015 - 5h30

Depois da surpreendente derrota de 2 a 0 para o Vasco, domingo, no Allianz Parque, os jogadores do Palmeiras participaram de uma dura reunião no vestiário do estádio, onde foram cobrados pela comissão técnica e diretoria. O presidente do clube, Paulo Nobre, confirmou a bronca e disse que a atitude foi uma forma encontrada pelos dirigentes para demonstrar respeito ao torcedor.

"Foi uma conversa muito séria, de que a concentração não pode ser perdida em um jogo importantíssimo como o de ontem (domingo), e, principalmente, quase 30 mil pessoas estavam no Allianz Parque. Precisa ter respeito ao torcedor. Se o Palmeiras não estivesse brigando por mais nada, já teria obrigação de entrar com brio", disse.

Ainda segundo o dirigente, é normal a diretoria conversar com o elenco, mas no jogo contra o Vasco a situação foi diferente, pois a forma com que os atletas se comportaram o deixou mais incomodado. "Temos o costume de conversar com os jogadores. Às vezes, certas vitórias empolgam demais, então temos um papo sério para não cair na empolgação. E você também tem esse tipo de papo quando acontece uma situação como essa. O Vasco teve totais méritos, mas o Palmeiras entrou completamente desconcentrado."

Paulo Nobre ainda disse que concorda com quem diz que o Palmeiras tem sido uma espécie de "Robin Hood" do Campeonato Brasileiro, pois teve bom desempenho diante dos grandes times, mas tropeçou perante as equipes de menores portes. "O Palmeiras tinha a intenção de ser campeão do Brasileiro. Com o número de pontos bobos que a gente perdeu, a gente estaria brigando até com o Corinthians”, projetou.

O presidente afirmou que a competência de Marcelo Oliveira não está em "discussão", apesar dos tropeços na reta final. O dirigente bancou a permanência do treinador. (Da Agência Estado)