Publicado 10 de Novembro de 2015 - 5h30

Está com Neymar todo o protagonismo do clássico entre Argentina e Brasil, quinta-feira, em Buenos Aires, pela 3 rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. Se não bastassem as ausências de Messi, Aguero e Tevez (cortado ontem por lesão no joelho) Neymar se apresentou ontem à Seleção ainda mais badalado depois do golaço que marcou diante do Villarreal, pelo Espanhol.

De costas para o seu marcador, o craque do Barcelona deu um chapéu no adversário e, antes de a bola cair no chão, bateu de primeira para o gol. Aplaudido de pé no estádio Camp Nou, em Barcelona, Neymar chegou a ser comparado a Pelé pela imprensa europeia.

Neymar desembarcou no Brasil no mesmo instante em que Dunga comandava o primeiro treino da seleção no CT do Corinthians. O craque chegou ao hotel junto com o lateral-direito Daniel Alves e não falou com a imprensa. Cerca de 30 jornalistas o aguardavam. Após descer do carro que o trouxe do aeroporto, tirou fotos com duas fãs que o esperavam na recepção. O craque passou pelos jornalistas carregando as próprias malas e limitou-se a dar um aceno às câmeras.

Neymar viajou de Barcelona para São Paulo em voo comercial. A viagem durou 12 horas. Além de Neymar e Daniel Alves, não participaram do treino o atacante Hulk (Zenit), o lateral Danilo (Real Madrid) e o zagueiro Gabriel Paulista (Arsenal), que ainda não haviam chegado.

Neymar está de volta à Seleção depois de cumprir suspensão nos dois primeiros jogos das Eliminatórias, contra Chile e Venezuela, por causa de punição imposta pela Conmebol após expulsão na Copa América.

Em partidas oficiais, o time tem se mostrado muito dependente de Neymar. Sem o atacante, o desempenho é ruim. Desde 2010, o Brasil disputou 21 jogos oficiais. O craque não esteve em campo em seis oportunidades. Foram três derrotas, duas vitórias e um empate. Na Copa do Mundo, sem ele, a Seleção perdeu por 7 a 1 para a Alemanha e por 3 a 0 para Holanda. Nas Eliminatórias, caiu por 2 a 0 diante do Chile. As duas vitórias foram contra a Venezuela (na Copa América e nas Eliminatórias). Já o empate teve gosto de derrota porque o Brasil caiu nos pênaltis para o Paraguai e foi eliminado da Copa América. (Da Agência Estado)