Publicado 11 de Novembro de 2015 - 5h00

Por Gustavo Mazzola

Espalhados na minha mesa de trabalho, os informativos mensais editados em 2015 pelo Centro de Ciências, Letras e Artes, de Campinas. Eles mostram claramente sua intensa atividade, testemunhas vivas de tudo o que aconteceu dentro desta entidade cultural centenária durante o ano que está para terminar.

Nem mesmo as adversidades que enfrentou no período, perda de companheiros de grande valor, intercorrências pessoais a superar, pouca transparência na mídia, nada disso fez esmorecer seu exíguo time de voluntários, gente disposta em servir a comunidade, sempre sob a liderança do incansável presidente, o engenheiro Marino Ziggiatti.

Os Boletins me dão conta dos principais momentos ali vividos, mês a mês.

As atividades começaram mesmo em fevereiro, com uma exposição de pintura do artista plástico Antônio Carlos Lanaro, que doou todo o acervo exposto ao Centro de Ciências.

No âmbito do Museu Carlos Gomes, a museóloga Mary Biason já dava continuidade ao seu trabalho de digitalização das partituras do maestro campineiro dentro do programa FICC, ao mesmo tempo em que a historiadora Fanny Tamisa Lopes preparava-se para iniciar, também dentro do FICC, um trabalho de Sistematização e Digitalização do acervo do Centro de Ciências.

Em março, um evento marcante: a cerimônia de comemoração dos cinquenta anos do Cine-Clube Universitário, cujas atividades, em diversas ocasiões, o Centro de Ciências foi local de suas realizações, como palestras, debates e exibição de filmes de arte.

O Combate da Venda Grande, momento de valor histórico, foi lembrado, em junho, com uma homenagem junto ao obelisco erguido no próprio local onde, na época, ceifaram-se vidas, o que e causou impacto na cidade.

Julho marcou-se com a exposição organizada pelo jornalista João Antônio Buhrer de Almeida, ressaltando os 65 anos do cinema como manifestação de cultura, muito além de mera diversão e entretenimento.

Estavam expostos fotos de personagens representativas no país, documentos históricos, jornais da época, prestigiando a iniciativa iniciada, em 1950, pelo engenheiro Marino. Nesse mesmo período, o professor Reinaldo Rigitano desenvolveu um ciclo de palestras sobre a Teoria da Relatividade, o que ressaltou a vocação do Centro também no âmbito da ciência.

Um dos mais importantes eventos do ano aconteceu em setembro: o oitavo Concurso Estímulo para Jovens Cantores Líricos, promoção da Secretaria Municipal de Cultura, curadoria do Centro de Ciências e apoio da Abal. Como nas versões anteriores, revelou talentos junto a intérpretes da música lírica e contribuiu para a divulgação da obra de Carlos Gomes.

Quase fechando um ano de intensas atividades, aconteceu em outubro a “Caipiríada”, a Semana de Cultura Caipira, programação organizada pelo professor da Faculdade de Ciências Sociais da Pucc-Campinas, Glauco Barsalini, o astrônomo Orlando Rodrigues Ferreira e o doutor Luiz Carlos Ribeiro Borges, diretor do Departamento de Literatura da entidade: durante uma semana, foi desenvolvida uma programação que contou com a exibição de documentários, palestras de pesquisadores, espetáculos de violeiros, poetas e artistas do cancioneiro popular brasileiro.

No dia 30 de outubro teve lugar no auditório do Centro, a inauguração da nova seção “Ciências da Vida”, sob a responsabilidade da doutora Clarissa Mendes Nogueira. Na sua edição de abertura, apresentou-se a professora doutora Cristina Brandt Friedrich Martin Gurgel, que proferiu uma palestra sob o tema “A Febre Amarela no Século XIX em Campinas”.

No dia 6 de novembro, sexta feira passada, aconteceu o lançamento do livro “O gatinho branco”, de autoria da menina de oito anos Bruna Maria Saccini Hellmeister, coincidindo com a abertura da exposição de trabalhos do ilustrador da obra, o jovem de 15 anos Fernando Otranto de Almeida.

Você sabia, leitor, de tudo isso? Sim? Ótimo, continue o prestigiando o Centro, que é uma obra de cultura de Campinas. Se não, é tempo de vir até à sua sede, na Rua Bernardino de Campos, 989, e participar do que está programado, ainda, para este final de ano: o jornalista João Antônio Buhrer de Almeida apresentará, na Galeria de Artes, na segunda quinzena de novembro, a exposição “Suplemento Literário de Campinas”, coroando um período de atividades de grande valor cultural, para Campinas e para o país.

Então, mãos à obra. Literalmente.

Escrito por:

Gustavo Mazzola