Publicado 13 de Novembro de 2015 - 18h07

Por Da Agência Anhanguera

Fundada em 1920, a Acic teve Godoy como presidente em três oportunidades: entre 1933 e 1936; de 1938 a 1939, e mais tarde, de 1948 a 1951

Janaína Ribeiro/ Especial a AAN

Fundada em 1920, a Acic teve Godoy como presidente em três oportunidades: entre 1933 e 1936; de 1938 a 1939, e mais tarde, de 1948 a 1951

A Associação Comercial e Industrial de Campinas (Acic) comemora nesta sábado (14) os 95 anos de fundação em um jantar especial no Espaço Vert, no distrito de Sousas.

O evento será marcado pelo lançamento de um livro e por homenagens aos 21 ex-presidentes que ajudaram a escrever a história da entidade. Entre os lembrados na cerimônia, está Sylvino de Godoy, avô do diretor-presidente do Grupo RAC, Sylvino de Godoy Neto.

Fundada em 1920, a Acic teve Godoy como presidente em três oportunidades: entre 1933 e 1936; de 1938 a 1939, e mais tarde, de 1948 a 1951.

Nascido em 1889 - ano da Proclamação da República -, o empresário formou-se na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, em São Paulo, e chegou a abrir um escritório de advocacia com um sócio em Campinas.

Como era empreendedor nato, logo propôs abrir e fez sucesso com uma fábrica de tecidos elásticos para sapatos, em sociedade na época com Guilherme Roberto Valbert. Em mais um passo empreendedor, adquiriu o Correio Popular em 1938.

"Ele foi um presidente empreendedor, visionário, com uma capacidade muito grande de articulação. Lutou muito para reduzir a carga tributária, que foi um dos motivos pelo qual a associação foi criada. Era uma pessoa que tinha uma visão diferenciada, muito empreendedora", contou a atual presidente da associação e primeira mulher a ocupar o cargo, Adriana Flosi.

Godoy também lutou pela ampliação da primeira sede, na Rua Barão de Jaguara, para que o crescente número de associados fosse melhor atendidos, de maneira mais apropriada.

Também esteve à frente do movimento para que fosse criada uma federação das associações comerciais - o que se efetivou depois na década de 60, com a criação Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

De acordo com Flosi, o jantar especial de comemoração também contará com o lançamento de um livro que conta os 95 anos da entidade e dá detalhes sobre o que ocorreu durante os mandatos dos 21 ex-presidentes homenageados.

"Trata-se de uma série de pessoas extraordinárias que foram altamente relevantes para história da associação. Os desafios deles foram enormes. É um reflexo do empresariado de Campinas, de como a cidade cresceu e vem trazendo essa característica há muito tempo. É um momento de muito orgulho e motivo para festejar", disse a presidente da Acic.

Cada um dos convidados ganhará a publicação ao final do evento, que contará ainda com as homenagens aos ex-mandatários. Filhos e parentes representarão aqueles já falecidos. O aniversário da Associação Comercial e Industrial de Campinas é apenas em 21 de novembro, mas o jantar de comemoração antecipará as celebrações.

"É uma data que mostra o tempo e a importância da entidade. Grandes personalidades passaram pela presidência e marcaram época, cada um na sua fase. A associação sempre esteve presente e em sintonia com a cidade, buscando o progresso e o desenvolvimento", comentou o atual vice e ex-presidente Guilherme Campos, que será homenageado no jantar.

De acordo com a Acic, a entidade é responsável pela representação de 26 mil estabelecimentos campineiros, sendo que 38,1 mil são da área de serviços. A atual sede está localizada na Rua José Paulino e conta com 1,9 mil metros quadrados. Para Flosi, a entidade tem por objetivo continuar sendo relevante no cenário da cidade. "A importância todo mundo pode reconhecer, mas a relevância tem a ver com o quanto você faz a diferença."

Saiba mais

A Acic foi criada no dia 21 de novembro de 1920, um domingo. Naquele dia, doze "senhores comerciantes de Campinas, convocados verbalmente, por circulares e pela imprensa", se reuniram no Salão Nobre da Sociedade Luiz de Camões e fundaram o "Centro Commercial de Campinas".

O primeiro objetivo era dar mais força a "Junta Commercial, tratada com tanta indiferença, dado ao confronto do diminuto número de negociantes matriculados para com o nosso desenvolvimento commercial" .

Quadro - ex-presidentes da Acic

1º - Pedro A. Anderson (1921 a 1922)

2º - João Pereira Ribeiro (1923 a 1925)

3º - Alfredo M. Maia (1931 a 1932)

4º - Francisco Moutinho Castro (1941 a 1932)

5º - Marinho Ferreira Jorge (1933 a 1938)

6º - Sylvino de Godoy (1933 a 1936; 1938 a 1939; 1948 a 1951)

7º - José Gerin Neto (1939 a 1940)

8º - Gustavo Rodrigues Doria (1941 a 1946)

9º - Lourenço Lunardi Gallo (1945 a 1947)

10º - Celso José Gerin (1952 a 1953)

11º - Ruy Rodrigues(1954 a 1966)

12º - José Piccolotto Jr. (1964 a 1965)

13º - Luiz Picolotto (1966 a 1967; 1968)

14º - Guilherme Campos (1966 a 1969; 1970 a 1971; 1974 a 1992)

15º - Guilmer Cury Zakia (1972 a 1973)

16º - Gilman José Jorge Farah (1995 a 1997)

17º - Abdo Set El Banate (1995 a 1997)

18º - Sidney Salin (1995)

19º - Guilherme Campos Júnior (1997 a 2001; 2003; 2004 a 2007; 2007 a 2010)

20º - Mario Gadioli (2001 a 2003)

21º - Gilberto Rocha da Silveira Bueno (2007)

Escrito por:

Da Agência Anhanguera