Publicado 15 de Outubro de 2015 - 18h09

Por Inaê Miranda

ÍíFOTOS: Divulgação

Inaê Miranda

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

Os crimes de roubo de carga na região de Campinas devem diminuir com a prisão João Ribeiro da Silva, de 38 anos, conhecido como Paraíba, anteontem, em Hortolândia. A declaração é do chefe dos investigadores da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Campinas, Marcelo Hayashi. Integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC), Paraíba ocupava a função de gerência dentro da facção - função conhecida como Torre - e tinha contra ele dois mandados de prisão por participação no mega assalto à fábrica da Samsung, em julho do ano passado. Segundo Hayashi, Paraíba atuava como articulador de roubos de carga e é investigado pela DIG em vários desses crimes. Ele foi detido em uma chácara, no bairro Vila Real Santista, enquanto participava de um suposto “julgamento” de três homicidas.

Paraíba era procurado desde o ano passado e foi preso pela Polícia Civil de Hortolândia numa operação com apoio da Guarda Municipal por volta das 15h de ontem, após denúncia anônima de que estaria acontecendo um “sumariamento” – ou julgamento – de três indivíduos que teriam praticado um homicídio na madrugada da última terça-feira contra uma mulher de 26 anos, no Jardim Primavera. No local, foi verificado que cerca de 30 pessoas participavam de um churrasco. De acordo com policiais que participaram da operação, os supostos réus negaram o julgamento e no local não foram encontradas armas. Mas quatro pessoas foram presas: Paraíba, porque constava como foragido pelo roubo da Samsung, e os três acusados do homicídio, que ficaram detidos temporariamente.

O local para onde foram levados os três presos e a identificação deles não foi revelada. Segundo os policiais, está confirmada a presença deles no local do crime, mas ainda não é possível dizer qual a participação de cada um. Os investigadores informaram ainda que estão sendo levantadas mais informações que serão confrontadas na próxima semana, quando os acusados serão ouvidos. Já Paraíba ficou preso na cadeia de Sumaré e ontem foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória de Hortolândia.

Hayashi afirmou que Paraíba participou ativamente no roubo da fábrica da Samsung. “Ele é alvo de investigação em vários crimes que estão sendo apurados pela DIG. Foi uma prisão importante e acreditamos que o crime de roubo de carga deve diminuir na região porque ele era uma pessoa forte, com papel de articulação em quadrilha de roubos de carga”, afirmou. Entre os meses de janeiro e agosto deste ano, Campinas registrou 150 roubos de carga. Somente em agosto foram 30 registros. O roubo cinematográfico na fábrica da Samsung ocorreu em julho do ano passado e chamou a atenção em todo o País. Na ocasião, houve um megaplanejamento da quadrilha que acabou levando equipamentos eletrônicos avaliados em ao menos R$ 14 milhões.

Escrito por:

Inaê Miranda