Publicado 15 de Outubro de 2015 - 16h24

Fotos: Dominique

Fábio Trindade

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

Num mesmo terreno, um enorme contraste. Ao lado da moderna fábrica alemã que, atualmente, está em plena atividade, há resquícios da antiga indústria que deu início ao império lá na década de 50. O cenário chega a ser de abandono, mesmo todas aquelas ferramentas e engrenagens sendo parte fundamental da história da empresa. Tal fato, obviamente, não passaria despercebido pela artista plástica Luz Castañeda durante uma visita ao local. Ela, na verdade, apenas acompanhava um grupo de arquitetos interessados em conhecer as instalações da fábrica na Alemanha, mas do simples passeio nasceu a exposição Owa da Luz, que entra em cartaz hoje no Espaço Arte, em Campinas.

Luz, para começar, fotografou a indústria nova e, depois, para comparar, registrou tudo o que encontrou da antiga fábrica, paisagens que despertaram nela, ali mesmo, durante a viagem, uma ideia de trabalho. “O maquinário antigo estava largado, depositado num barracão. Mas tudo me chamou muito a atenção pelo tamanho das brocas, das engrenagens, de todos os equipamentos. Então comecei a fotografar incansavelmente e, diante de tudo aquilo, já sabia que poderia fazer um trabalho de colagem. Tudo ali me remetia a colagem. Então eu segui essa linha.”

Com o material em mãos, a artista montou a exposição com registros em sépia da fábrica nova, para remeter ao antigo; juntou com fotografias da antiga instalação que foram trabalhadas com colagens e pinturas extremamente coloridas, para desconstruir a imagem e deixá-las modernas e contemporâneas; e, por último, a síntese dos dois registros, com fotos feitas da colagem e reveladas em quadros.

“Esse trabalho, para mim, remete a vivência do tempo eternal, ou seja, que não tem início nem fim. O que a gente faz nesse tempo eternal são cicatrizes para a gente ter um tempo linear. Então o que a gente tem é o que chamamos de novo e o que chamamos de antigo”, explica a artista. “Só que algumas experiências, que podem ser sensórias, ou meditação, transe, ou mesmo por amor incondicional, nos fazem ter acesso a esse tempo eternal. E há outra coisa que nos leva para lá, a meu ver: a arte. E é isso o que eu quis fazer com esse trabalho, transportar o público ao termo sem início e fim.”

Ao fazer a visita, atente-se portanto para ver, mais do que os trabalhos individuais, as etapas. As fotos que foram utilizadas para colagem estão expostas também na galeria, permitindo que o público compare o antes e depois. E, claro, as colagens que viraram fotos também estão expostas no local. Ou seja, as três fases num mesmo ambiente. A exposição fica aberta ao público até 18 de dezembro e a entrada é gratuita.

Agende-se

O quê: Exposição Owa da Luz, de Luz Castañeda

Quando: Até 18/12, de segunda a sexta das 9h às 18h; sábado das 9h às 14h

Onde: Espaço Arte do Ateliê Revestimentos (Rua Conceição, 1.111, Cambuí, Campinas, fone: 2139-3550)

Quanto: Entrada gratuita