Publicado 13 de Outubro de 2015 - 21h21

Por Paulo Santana

Felipe Moreira, de 34 anos, fará sua estreia à frente de uma equipe profissional e tem a chance de ser efetivado caso a Ponte corresponda em campo

Paulo Santana/AAN

Felipe Moreira, de 34 anos, fará sua estreia à frente de uma equipe profissional e tem a chance de ser efetivado caso a Ponte corresponda em campo

A Ponte Preta aposta em um comando democrático para somar ponto (ou pontos), nesta quarta-feira (14), às 21h, na Allianz Parque, diante do Palmeiras, pela 30º rodada do Campeonato Brasileiro. A diretoria da Macaca ouviu os líderes do elenco e decidiu dar um voto de confiança ao jovem Felipe Moreira, que estreia como técnico interino, mas poderá ser efetivado e seguir até o final do ano.

Com 41 pontos, a Macaca precisa de apenas mais cinco para garantir seu principal objetivo em 2015, que é a permanência na divisão de elite para o ano que vem. Hoje, o time está na 9º posição com 41 pontos, dez a mais que o Goiás, que abre a zona de rebaixamento, e a cinco do Santos, atual 4º colocado. Assim, a diretoria quer esperar um pouco para ver o comportamento da equipe sob nova direção.

"Tivemos um bom tempo para realizar treinos técnicos e táticos. Conversamos bastante, ouvimos a opinião dos jogadores e procuramos trabalhar para corrigir algumas situações", disse Felipe, que apresenta uma metodologia de trabalho diferente do usual. "Não tem isso de só um falar e decidir tudo. A gente ouve, troca ideias e segue junto", conta o técnico de 34 anos.

Falando em nome do elenco, os principais líderes do time — Marcelo Lomba, Borges, Fernando Bob, Cristian e Adrianinho — fizeram um pedido aos dirigentes para a permanência do interino. "O Felipe conhece bem o elenco e mostrou que sabe o que está fazendo", disse o meia Cristian, um ano mais velho que o comandante.

Sob a direção de Felipe, a Ponte tenta manter o embalo no Brasileirão. São quatro vitórias e um empate nas últimas cinco partidas. "Tivemos uma boa reação e acho que podemos seguir assim até o final. O time está entrosado e o grupo abraçou o Felipe, que pode contar com todos nós", garante o volante Fernando Bob.

O time terá três mudanças em relação ao que empatou com o Corinthians, por 2 a 2, na última rodada. O zagueiro Fábio Ferreira entra na vaga de Ferron, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. O jovem Jeferson assume a posição do também suspenso Rodinei, e Fernando Bob volta após cumprir suspensão automática. Juninho, titular na rodada anterior, será opção no banco.

Assim como aconteceu com o pai, a chance de comandar a Ponte surge por acaso para Felipe. A diferença é que em 1998, Marco Aurélio — então treinador do sub-20 — assumiu o time sob risco de rebaixamento nas dez últimas rodadas. Na ocasião, conseguiu a missão de manter a equipe na elite e iniciou uma carreira de sucesso. "Tomara que, assim como meu pai, eu tenha um bom começo", disse o interino.

Escrito por:

Paulo Santana