Publicado 13 de Outubro de 2015 - 11h48

Por Vinícius Agostini


Vinicius Agostini/AAN

Os trens tiveram uma enorme importância nos últimos 200 anos da história da humanidade. No Brasil, com a extinção das viagens longas sobre trilhos, são os passeios turísticos que nos permitem reviver emoções de um passado recente. O turismo ferroviário no País vive dias de retomada, apesar de lento e talvez por isso, ainda seja pouco conhecido por grande parte dos turistas. O Turismo percorreu trilhos em três Estados: Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais. Cada um conta com passeios realizados em locomotivas distintas, movidas à energia elétrica, à diesel e uma simpática maria-fumaça, de 1924, à lenha.

Trem do Corcovado

A viagem ao Rio de Janeiro pode ser considerada incompleta se não tiver no roteiro uma visita ao cartão-postal do Brasil, o Cristo Redentor, dono do título de uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno. A forma mais agradável de chegar ao monumento é através do Trem do Corcovado. O percurso é de apenas 20 minutos pela centenária estrada de ferro do Corcovado, considerada a mais antiga do Brasil. A locomotiva, que transporta quase um milhão de pessoas a cada ano, é elétrica e, portanto, sustentável, não causando prejuízos ambientais ao Parque Nacional da Tijuca. A compra da passagem é feita no embarque ou no site www.ingressocomdesconto.com.br/corcovado.

Foto: Vinicius Agostini/AAN

O trem do Corcovado

O trem do Corcovado

Comprando pelo site, os tíquetess têm hora marcada, o que evita filas. Durante a subida, a 15km/h, os viajantes já podem sentir um gostinho do que vão ver lá de cima. Os passageiros, com suas máquinas fotográficas e smartphones, disputam pelo melhor ângulo quando a mata fechada abre brechas. No desembarque há uma infraestrutura com guichê de informações turísticas, lojas e banheiros. Para se aproximar do Cristo há duas opções: a primeira é pegar o elevador panorâmico e depois subir pela escada rolante; a segunda é a escada convencional.

Se o visitante não tiver dificuldades de locomoção, a subida pela escadaria é a melhor escolha para admirar as belas paisagens. Na hora de partir, desça pelas escadas rolantes e pegue o elevador panorâmico. Lá do alto, é possível avistar cantos bonitos da cidade, entre eles a Baía de Guanabara, o Maracanã, a Lagoa Rodrigo de Freitas, além das praias de Copacabana e Ipanema. Na volta para a estação do Cosme Velho, retorne ao trem e tenha mais uma chance de tirar belas fotos na descida antes de chegar à estação.

HISTÓRIA

Inaugurada em 1884 por Dom Pedro II, a locomotiva levou, durante quatro anos consecutivos, os materiais para a construção do Cristo. Na época, o trem, que era a vapor, foi considerado um milagre da engenharia por percorrer quase quatro quilômetros de linha férrea em um terreno totalmente íngreme. No entanto, em 1910, os trens foram substituídos por máquinas elétricas. Um detalhe curioso, é que Santos Dumont, considerado o Pai da Aviação, pedia ao maquinista para pilotar a locomotiva.

DICA

Visite o Cristo pela manhã, pois à tarde as fotos ficarão contra a luz.

SAIBA MAIS

Endereço: Rua Cosme Velho,

513 - Cosme Velho, Rio de Janeiro Horários: de segunda

a domingo, das 8h às 19h,

com saídas a cada meia

hora Informações: www.corcovado.com.br

ou (21) 2558-1329

COMO CHEGAR AO TREM

Vindo da Zona Sul pela Lagoa, entre no Túnel Rebouças e pegue o 1° acesso à direita e, em seguida, à esquerda, descendo a Rua Cosme Velho, siga a placa “Trem do Corcovado”.

Outra opção: suba a Rua das Laranjeiras em direção ao Cosme Velho.

De metrô, desembarque na estação Largo do Machado e pegue o ônibus que faz integração ao metrô para o Bairro Cosme Velho.

PREÇOS:

Alta Temporada:

Ingresso inteiro: R$ 62,00

Crianças de 6 a 11 anos: R$ 40,00

Idoso com mais de 60 anos: R$ 20,00

Crianças até cinco anos não pagam, desde que estejam no colo do responsável

Baixa Temporada

Ingresso inteiro: R$ 51,00

Crianças de 6 a 11 anos: R$ 40,00

Idoso com mais de 60 anos: R$ 20,00

Crianças até cinco anos não pagam, desde que estejam no colo do responsável

São considerados períodos de:

- Alta temporada: todos os dias dos meses de dezembro, janeiro, fevereiro e julho, e, também, os sábados, domingos e feriados (incluindo os prolongados) dos demais meses;

- Baixa temporada: de segunda a sexta - exceto feriados, nos meses de março a junho, e de agosto a novembro.

Passeios fazem verdadeira viagem no tempo

Que tal experimentar a sensação de passear em uma charmosa e simpática maria-fumaça alemã de 91 anos, movida à lenha, localizada em um município tranquilo, simples e com um cenário natural incrível? A proposta se torna ainda mais original no Estado onde a palavra “trem” não sai da boca das pessoas.

O Trem das Cachoeiras, que mudou de nome no início do mês de setembro para Maria- Fumaça Rio Acima, fica na pequena cidade de Rio Acima, a 38 quilômetros de Belo Horizonte. Logo na estação somos convidados a resgatar as lembranças e a reviver as viagens de antigamente. O apito característico da locomotiva, a fumaça branca que o envolve na estação e o maquinista furando os bilhetes são detalhes que fazem parte do passeio. A percepção de volta ao passado contagia os turistas.

Batizada de Elisabeth, a maria-fumaça possui três vagões, sendo um panorâmico, com mesas, ar-condicionado e poltronas em cor vinho e bem confortáveis.

Foto: Vinicius Costa/Pressphoto

Trem das Cachoeiras, em Rio Acima (MG)

Trem das Cachoeiras, em Rio Acima (MG)

Elisabeth sai da estação e segue pelos bairros Matadouro e Nossa Senhora do Carmo, até chegar à região de Labareda. Durante o trajeto, o trem passa por uma ponte ferroviária e os turistas entram em contato direto com a natureza, conhecem e vivenciam a história de homens e mulheres que, durante a corrida do ouro, encontraram na estrada de ferro um meio de sobrevivência. O percurso total, com duração de 55 minutos, é de sete quilômetros ida e volta, e a locomotiva se desloca lentamente, a 12km/h.

MARIA-FUMAÇA ELISABETH

A locomotiva, fabricada em Berlim, no ano de 1924, trabalhou arduamente nas lavouras da Alemanha. Em 1940 veio para o Brasil transportar cana-de-açúcar na Usina Maravilhas, na cidade de Goiana, em Pernambuco, onde recebeu o carinhoso nome de Elisabeth. Em 2008 foi arrematada em um leilão por um restaurador de locomotivas de Pindamonhangaba. Depois disso, a Prefeitura de Rio Acima comprou a máquina, em 2009, mas começou a operá-la em 2012. Desde então, mais de 35 mil pessoas já realizaram o passeio.

AS CACHOEIRAS

Rio Acima dispõe de 80 cachoeiras que podem ser acessadas por trilhas feitas a pé ou com bicicleta. Entre as que se destacam estão: a Cachoeira Véu da Noiva, a Cachoeira de Santo Antônio, que tem imagem do Santo esculpida em uma de suas pedras, a Cachoeira do Índio, com uma bela queda, e a Cachoeira Chicadona, que tem 65 metros e grande volume d’água, perfeita para rapel ou mesmo um bom banho.

SAIBA MAIS

Endereço: Av. Gov. Israel Pinheiro da Silva, nº 34, Centro

Horários: sábados, domingos e feriados às 10h, 13h, 14h30 e 16h

Informações: www.crat.com.br ou (31) 3129-8846 e (31) 3545-2947

PREÇOS

Vagão Simples: R$ 22,00

Vagão panorâmico e com ar-condicionado: R$ 30,00

Descontos de 50% do valor total para crianças até 12 anos, idosos acima de 60 anos e portadores de necessidades especiais.

MONTANHAS CAPIXABAS

Percorrer um trajeto em uma estrada de ferro inaugurada em 1895, com belíssimas paisagens, túneis, pontes e cachoeiras, em um passeio deslumbrante de duas horas, que une história e cultura de pequenas cidades com colonização alemã e italiana, a bordo de um trem fabricado no período de Mussolini, na Itália, parece um sonho. O Trem das Montanhas Capixabas torna tudo isso real. A locomotiva, movida a diesel, e que recebe o nome de Litorina, dispõe de janelas amplas, ar-condicionado, poltronas confortáveis, apoio para copos e suporte superior para bolsas e malas. O trem parte do município de Viana, a 32 quilômetros de Vitória e vai até Marechal Floriano. O trecho era conhecido, na época da inauguração, como Leopoldina Highway, uma homenagem a Maria Leopoldina, a primeira imperatriz do Brasil.

Foto: Vinicius Agostini/AAN

O trem das serras capixabas

O trem das serras capixabas

Durante a subida da serra, a 18 km/h, é possível avistar pequenas propriedades rurais. No caminho pela Ferrovia Centro Atlântica, o contato com áreas preservadas, lindas montanhas, rios, pontes de ferro e paredes naturais de bambu, nos mostram que viajar de trem se torna uma experiência marcante. O maquinista faz algumas paradas rápidas no meio do percurso para que os turistas possam registrar as paisagens em fotos. A primeira parada é no Vale da Estação, em Domingos Martins, onde é possível encontrar um pequeno comércio com venda de produtos artesanais, pães, doces e geleias. No local, há um vilarejo com charmosas casas da década de 30, de arquitetura alemã. Essa estação, que em 1910 se chamava Germânia, foi a porta de entrada para produtos e escoamento do café. Os serviços de correios e telégrafos chegavam pela estação, que contribuiu para o crescimento e desenvolvimento do município.

Continuando o passeio, além de lindas paisagens, a Litorina passa por dois túneis escavados em rochas de granito. O ponto de chegada é a Estação Marechal Floriano, que recebe o mesmo nome da cidade. Conhecida como Cidade das Orquídeas, se destaca por ter um clima agradável, além de belas cachoeiras.

NÃO DEIXE DE VISITAR

Em Domingos Martins fica o Parque Estadual da Pedra Azul, uma reserva natural com 1.240 hectares, que possui várias trilhas, além de fauna e flora diversificada. No local é possível avistar um dos mais famosos cartões-postais da cidade, a Pedra Azul, que se destaca na paisagem com 1.822 metros de altura. Não há cobrança de ingressos para a visita do parque (de segunda a sexta das 8h às 17h); porém, se o turista deseja fazer um passeio com guia, é preciso ligar com sete dias de antecedência para fazer o agendamento. A visita ao parque tem duração de duas horas e meia e é realizada em dois horários: 9h30 e 13h30. A reserva natural fica na Rota do Lagarto, Km 2, s/nº, em Domingos Martins. O telefone para informações é (27) 3248-1156.

SAIBA MAIS

Endereço: Rua Coronel Vieira Pimentel, s/nº, Centro, Viana-ES

Horários: sábado e domingo partindo de Viana às 9h e chegando em Marechal Floriano às 11h20. Na volta, o trem sai de Marechal Floriano às 12h30 e chega em Viana 14h40

Informações: www.serraverdeexpress.com.br ou (27) 3237-1789

PREÇOS

Só ida

Ingresso inteiro: R$ 112,00

Crianças: R$ 52,00

Crianças até 5 anos não pagam, desde que estejam no colo do responsável (exceto seguro obrigatório no valor de R$ 10,00 por trecho)

Ida e volta

Ingresso inteiro: R$ 160,00

Crianças: R$ 82,00

Crianças até 5 anos não pagam, desde que estejam no colo do responsável (exceto seguro obrigatório no valor de R$ 10,00 por trecho)

O jornalista viajou a convite da Associação Brasileira de Operadoras de Trens Turísticos e Culturais (Abottc) em parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae)

 

Escrito por:

Vinícius Agostini