Publicado 15 de Outubro de 2015 - 11h54

Por France Press

Em relação aos times, mistério dos dois lados, com treinos fechados, mas a verdade é que ambos não têm muito em que surpreender

Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Em relação aos times, mistério dos dois lados, com treinos fechados, mas a verdade é que ambos não têm muito em que surpreender

A derrota por 1 a 0 para a Ponte Preta fez com que o torcedor palmeirense perdesse a paciência com o técnico Marcelo Oliveira. Durante o jogo de quarta-feira, muitos palmeirenses xingaram o treinador, principalmente após a entrada de Allione no lugar de Dudu. Ao final da partida no Allianz Parque, o comandante se defendeu e disse que fez a mudança para evitar a expulsão do jogador.

"Torcedor age pela paixão. Tem o jogador que está no banco e que ela gosta e tem o outro que ela acha que é mais importante do que quem está jogando. Eu tenho as minhas alterações dentro das minhas convicções. Ninguém tinha pensado que o Dudu poderia ter sido expulso (ele já tinha cartão amarelo) e talvez a manifestação tenha sido mais pelo que aconteceu no jogo. Para evitar a expulsão, eu deixei o Rafael Marques em campo e tirei o Dudu", comentou o treinador, lembrando que o atacante já tinha cartão amarelo.

Marcelo ainda explicou a saída do volante Andrei Girotto ainda no primeiro tempo, dando lugar para Gabriel Jesus. Para o treinador, não existem motivos para ninguém ficar chateado com as mudanças. "Trabalha-se com a conscientização no dia a dia. Todos podem sair e entrar a qualquer momento. É pouco comum, ainda mais no Brasil, substituir no primeiro tempo, mas não conseguimos jogar. Levamos um gol e não conseguíamos jogar, então porque esperar o fim do primeiro tempo? O Girotto estava brigando pela bola, mas precisávamos jogar. O time todo estava muito mal e a ideia era colocar um time mais ofensivo, mesmo correndo riscos", explicou.

Ainda em relação ao resultado e a má atuação da equipe, o comandante palmeirense acredita que a equipe sentiu por ter treinado por vários dias com Robinho, que voltou a sentir dores e acabou sendo vetado para a partida. "Treinamos bastante com o Robinho de um lado, o Thiago centralizado e o Zé Roberto e o time estava bem encaixado. Infelizmente, o Robinho voltou a sentir e não pôde jogar, assim como o Arouca, Gabriel e Cleiton Xavier. Escalamos dois volantes para soltar mais os laterais e usufruir da bola parada, mas não conseguimos nem uma coisa e nem outra", lamentou.

Com o resultado, o Palmeiras se manteve na sexta colocação com 45 pontos e torce para que o Santos não some pontos diante do Grêmio, quinta-feira, em Porto Alegre, para se manter apenas um ponto de distância do G4 do Campeonato Brasileiro.

Escrito por:

France Press