Publicado 12 de Outubro de 2015 - 5h30

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse que o Orçamento de 2016 é prioridade do governo, pois representa “o fundamento do crescimento econômico”. Ele fez a afirmação ontem pouco antes de embarcar de volta ao Brasil em Lima (Peru), onde participou da reunião anual do Fundo Monetário Internacional (FMI). A economia brasileira foi um dos destaques negativos do encontro, com projeção do organismo de 3% de contração para o País neste ano. “O que a gente quer ver é a volta do crescimento o mais rápido possível, com a expansão do crédito e o apoio às empresas, e eu acho que o Orçamento numa sociedade democrática é onde a gente caracteriza essas decisões”, afirmou. O ministro disse desconhecer detalhes da análise feita pelo procurador do Tribunal de Contas da União (TCU) de que o governo mantém no segundo mandato as “pedaladas fiscais”, ao atrasar pagamentos devidos ao Banco do Brasil, BNDES e Caixa Econômica Federal. “Todo mundo sabe que nós estamos pagando as despesas não só deste ano, como dos anos anteriores. Todo mundo sabe que nós inclusive reformamos diversos regulamentos para acelerar o pagamento e dar absoluta clareza ao relacionamento com as instituições fiscais”, destacou Levy. (Das agências)