Publicado 10 de Outubro de 2015 - 5h30

A falta de oportunidades para os jovens em um mercado em crise provocou uma procura recorde pelas 320 vagas ofertadas para o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos “Cidadania Hoje”, da Associação de Educação do Homem de Amanhã (Guardinha). A entidade recebeu mais de 2 mil inscrições, o dobro do registrado em relação a anos anteriores.

O serviço oferece oficinas, palestras e atividades para que jovens de 15 a 24 anos em situação de vulnerabilidade desenvolvam suas capacidades e potencialidades. Muitos candidatos foram atraídos para a seleção imaginando que as inscrições fossem para o serviço de aprendizagem profissional, que trabalha com o treinamento dos jovens e o encaminhamento para empresas.

A coordenadora técnica da entidade, Amanda Pedrini, confirmou que a procura disparou. “Normalmente, recebemos cerca de mil inscrições. Neste ano, ultrapassamos as duas mil. O projeto é focado em jovens entre 15 e 24 anos, e boa parte deles veio imaginando que se tratasse da abertura do processo para o preenchimento de vagas para o serviço de aprendizagem profissional. Mas tratam-se de projetos diferentes”, explicou.

Ela disse que, mesmo depois de serem informados de que não era se tratava do programa que encaminhava para vagas de trabalho nas empresas, nenhum dos candidatos deixou de fazer a inscrição.

“A próxima fase é de análise da vulnerabilidade de cada candidato, que é o critério de escolha. Os selecionados vão participar do programa, que oferece oficinas, palestras e atividades para o desenvolvimento social e profissional, fortalecimento de vínculos e convivência. Não é oferecida bolsa”, explicou.

Amanda disse ainda que os jovens escolhidos vão participar do programa durante o próximo ano. “Os cursos e as atividades são totalmente gratuitas. As atividades começam em 2016. Depois de completar todo o calendário de atividades, os jovens recebem um certificado”.

A coordenadora lembrou que a grande procura dos jovens acontece no mesmo ano em que a entidade completa 50 anos de existência. Ela disse que a abertura das inscrições para o programa de aprendizagem deve acontecer em janeiro do próximo ano.

“Não temos uma data ainda e também não sabemos a quantidade de vagas que serão ofertadas. Dependemos das empresas parceiras do projeto, mas sabemos que a crise econômica afeta essas empresas, que podem reduzir a oferta de vagas”, analisou a coordenadora.

Esperança

O jovem Alejandro Santiago, de 18 anos, está entre as 2 mil pessoas que buscam uma oportunidade de qualificação e uma chance no mercado de trabalho.

“Estou procurando emprego, mas está muito difícil. Vim me inscrever com a esperança de conseguir participar da qualificação e de arrumar um emprego”, comentou. O rapaz afirmou que já trabalhou e busca por uma oportunidade em qualquer área. “Mas não imaginei que tantas pessoas fossem buscar uma vaga na Guardinha”, contou.

A faxineira Maria Silva acompanhou o filho até a sede da entidade para auxiliá-lo na busca por uma vaga no programa. “A situação está difícil em casa e meu filho precisa muito encontrar um emprego. Ele tem 16 anos e já mandou vários currículos para empresas, mas até agora não conseguiu nada. A Guardinha é um bom caminho”, comentou ela, que tem mais três filhos.