Publicado 15 de Outubro de 2015 - 5h30

O Dia dos Professores é uma data que deve ser celebrada com toda atenção. O reconhecimento do trabalho e da dedicação dos mestres é mais do que um consenso da sociedade, mas a constatação da importância vital que a Educação cumpre na vida das pessoas, como o êmbolo do desenvolvimento pessoal, do enriquecimento pelo aprendizado, pela introdução ao universo do conhecimento. Mesmo presente em todos os discursos políticos, a educação ainda é um tema que passa ao largo das prioridades brasileiras.

Um professor não é apenas um instrumento para repassar conhecimento. Ensinar é passar o legado da sua própria vida, os percalços e superações, as descobertas e conquistas, em uma dedicação humanitária que edifica o caráter, dando novo sentido às vidas de seus pupilos. Em cada tema ensinado é deixada uma semente de realização, de experimentação, de acertos, de entrega a um mundo que se descortina, e transforma, mestres e pupilos, em cúmplices na intuição e no entendimento de suas realidades e talentos.

Chega a ser lugar-comum que as datas comemorativas sejam saudadas com um não haver nada a comemorar. As decepções, as agruras profissionais, as dificuldades naturais e as que poderiam ser evitadas se juntam para criar um clima de desalento difícil de ser superado. Com a Educação, em plena Pátria Educadora, o cenário é triste e pouco otimista. As contradições, o baixo investimento, as condições precárias das escolas, a falta de uma diretriz consistente e moderna, o desgaste do corpo docente, a falta de oportunidades de crescimento, tudo constrói um sistema educacional que nem chega perto de ser um projeto de um governo federal que se retorce nos estertores de uma crise e usa o próprio Ministério da Educação como moeda de troca de favores e proteção política.

Mas existem, sim, razões para se comemorar. Existem profissões e existe sacerdócio. Obrigações e entregas, desempenho e talento. Em tudo, o professor é uma figura única, o ungido para abrir o caminho das descobertas, das experiências, da vida. Em cada lição que repassa aos alunos, está compondo um tema de respeito e dedicação, mostrando que a vida nunca se esgota, mas se renova sempre em cada nova descoberta. Apesar de todas as contradições e desvios de rumos, é preciso valorizar o professor, exigir respeito e reconhecimento àqueles que dedicam suas vidas para edificar o conhecimento. Porque, sem eles, não existiriam nem mesmo pátrias para serem honradas.