Publicado 14 de Outubro de 2015 - 5h30

A placa de “Pare” existe, mas aos olhos do motorista faz anos que ela está escondida atrás de uma árvore. A sinalização precária atrapalha quem segue pela Rua Professor Orestes Segallia, no bairro Parque Industrial, em Campinas, e causa confusão sobre a preferência da via: o motorista não sabe se para no cruzamento com a Rua João Guimarães Bahia ou se continua trafegando. O trecho tem mais um agravante: não há qualquer sinalização de solo, o que, segundo moradores, causa acidentes constantes no cruzamento.

O motorista que acessa a Orestes Segallia, via de mão dupla, geralmente entra pela Avenida das Amoreiras e, logo na primeira quadra, percebe o problema de sinalização. “Faz 15 anos que trabalho nessa rua e já vi muito acidente e freada brusca. A placa faz um bom tempo que está no meio das plantas”, afirma a auxiliar Elisabeth Boscolo, de 59 anos.

Em pouco mais de 20 minutos que a reportagem esteve no local, pelo menos cinco veículos que seguiam pela Orestes Segallia brecaram bruscamente, “invadindo” parte da João Guimarães Bahia, em clara demonstração de que desconheciam de quem era a preferência. “É um absurdo uma placa fica escondida da visão dos motoristas. Se acontece um acidente mais grave, de quem vai ser a culpa? Somente dos motoristas ou das autoridades também?”, criticou o mestre de obras Irineu dos Santos, de 47 anos.

Um morador, que preferiu não se identificar, informou que, depois da última vez que o asfalto passou por manutenção — há mais de 15 anos, segundo ele —, a via não recebeu nova pintura de solo. Além daquele ponto, outras esquinas em um raio de 600 metros também não possuem a sinalização pintada. “Já vi diversos acidentes nessa esquina”, reforçou o morador.

Manutenção

Em nota, a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) informou que fará a manutenção da sinalização no cruzamento das ruas Professor Orestes Carlos Segallio com a João Guimarães Bahia. “O trabalho envolve pintura de solo (“Pare”) e possível reposicionamento da placa, para sua perfeita visibilidade”, informou. (Gustavo Abdel/Da Agência Anhanguera)