Publicado 13 de Outubro de 2015 - 5h30

Uma grande festa para comemorar o Dia das Crianças fez a alegria de mais de mil pequenos na manhã de ontem no Campo Belo, em Campinas. Logo cedo, às 7h, a organização começou a percorrer o bairro com carro de som e diversos personagens do universo infantil chamaram a população para a comemoração, que ocorreu no campo de futebol do bairro, na Rua Irineu dos Santos.

O gramado se transformou em um grande parque de diversões, com dois pula-pulas, escorregador inflável e piscina de bolinhas. Houve ainda distribuição de salgadinhos, lanches, algodão-doce e refrigerante. A fila para os brinquedos exigiu um pouco de paciência dos pais. A maioria, no entanto, não se importou com a lotação e se divertiu com os filhos. Eles disseram que eventos no bairro para as crianças são raros e os pequenos sentem falta de diversão de qualidade na região.

A festa é tradicional e organizada pela Sociedade de Moradores. O evento de grande porte conta com cerca de 50 voluntários, que se revezam para entreter as crianças e distribuir mais de 3 mil lanches e os 700 litros de refrigerante. Um dos pontos altos do evento foi a chegada do carro de som, com personagens como a Emília, do Sítio do Pica-pau Amarelo, Minnie, Chaves, Chiquinha e o Homem-Aranha. O último foi o mais disputado e as crianças fizeram fila para fazer uma selfie com o super-herói.

A dona de casa Lucimara Odete da Silva, de 34 anos, afirmou que, se não fosse a festa, provavelmente sua filha Iara, de 7 anos, ficaria em casa no Dia das Crianças. “É gostoso porque ela encontra outros amigos do bairro e brinca com segurança, longe dos carros”, disse.

Ariane Almeida, de 28 anos, levou seu casal de filhos para se divertir no campo. “Hoje, as crianças ficam muito em casa, no tablet ou na tevê. Toda vez que tem alguma festa assim, faço questão de levar”, falou. Lohane, de 5 anos, ficou quase a manhã toda no pula-pula. Depois de cansar da brincadeira, comeu um algodão-doce. “Eu gostei da festa. Encontrei vários amigos.”

Foi a primeira vez que a voluntária Natalina Ferreira, de 29 anos, participou da festa, mas afirmou que pretende ajudar todos os anos. “A população daqui carece desse tipo de coisa. O bairro tem muitas crianças, mas quase nenhum tipo de diversão. Estou gostando muito da experiência.” (Cecília Polycarpo/Da Agência Anhanguera)