Publicado 12 de Outubro de 2015 - 5h30

Um incêndio que começou às 23h de sábado e foi controlado apenas às 5h de ontem destruiu a loja Baby Calçados, na Rua 13 de Maio, Centro de Campinas. Ninguém ficou ferido. A Polícia Civil ainda investiga o que provocou o fogo, que começou na parte superior da loja, no departamento de tênis e material esportivo.

Os bombeiros chegaram ao local 40 minutos depois de o fogo ter começado, quando as chamas já estavam altas. Apesar de não ter atingido outros imóveis, o incêndio provocou pânico em moradores de prédio da região central, que congestionaram o telefone do Corpo de Bombeiros. A fumaça preta que saía do prédio também incomodou a população vizinha.

No início da manhã, parte da via estava interditada e sócios do estabelecimento aguardavam na frente do prédio a chegada da perícia. O estado da loja chamou a atenção de comerciantes e consumidores que aproveitaram a manhã nublada de domingo para fazer a compra do Dia das Crianças — por conta da data, muitos comércios abriram ontem. Abalado, um dos proprietários do local, Eduardo Bortoletto, disse que foi acionado por telefone por vizinhos, depois de o alarme da loja disparar.

“Quando cheguei os bombeiros já estavam na loja. Fiquei a madrugada aqui até o fogo acabar.” O incêndio destruiu principalmente o segundo andar, mas também atingiu a parte esquerda do andar térreo. “Não pude entrar na loja ainda, mas sabemos que foi bem grave”, completou Eduardo. Pai de Eduardo, Sérgio Bortoletto, explicou que a loja está 100% segurada, mas que nunca havia passado por algo parecido. “Desde que entrei na loja, em 1951, nunca vi algo assim. Não sei as causas ainda, mas acredito que não seja criminoso. Não temos inimigos.”

Sérgio explicou que tentará abrir uma parte pequena da loja, que foi menos atingida, para o período natalino. “Vamos tentar remanejar funcionários para outras unidades. Agora é ter paciência e esperar.”

Parte do quarteirão onde fica a unidade foi interditado. Às 10h30, o local ainda tinha uma fumaça branca, e os bombeiros chegaram a ser acionados novamente. Às 11h, não havia mais fumaça. Funcionários que chegavam para trabalhar ficavam chocados. Alguns choraram sentados na calçada.

Medo

O aposentado Orlando Pátaro, de 86 anos, frequentador da loja, foi um dos primeiros a avistar o fogo de seu apartamento e a acionar os bombeiros. Segundo Pátaro, o calor das labaredas chegavam até o seu prédio e a região ficou coberta de fumaça. “Quando eu vi a fumaça, ainda não tinha chama aparente. Liguei desesperado para o bombeiro. Minha mulher chorava muito.”