Publicado 10 de Outubro de 2015 - 5h30

Uma operação com grande apreensão de veículos no início desta semana na Avenida Professora Ana Maria Silvestre Adade, nas proximidades do anfiteatro e do portão 2 do Campus I da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), no Parque Universidades, levantou polêmica. Estudantes da instituição questionaram a sinalização existente na via indicando a proibição do estacionamento desde o cruzamento com a Avenida José Próspero Jacobucci.

A autuação de 40 veículos, com apreensão de 15, aconteceu na noite do primeiro dia da Semana Jurídica, evento que atrai alunos do curso de direito, que estudam no campus central da PUC e não têm familiaridade com a região do campus 1.

É o caso de Isabela Fontana, de 19 anos, que após passar pelo portão fechado, para tentar estacionar dentro da instituição, viu uma vaga entre vários carros já estacionados e não hesitou em parar, por volta das 20h, mas quando voltou, duas horas depois, o veículo já não estava no local. “Eu não percebi que não podia parar, até mesmo porque conversando com os alunos de lá antes podia parar e a linha feita no chão é pontilhada”, relatou a universitária, que afirma ter visto apenas uma placa de proibido estacionar bem distante de onde parou.

No dia seguinte, logo pelo início da manhã, a jovem se deparou com outros cinco colegas de curso retirando os veículos apreendidos no pátio da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), sendo que um deles havia sido autuado na quinta-feira anterior à operação desta semana, alvo da polêmica.

A reportagem transitou pelo endereço na noite da última quinta-feira e observou veículos estacionados nos dois sentidos, inclusive em cima do canteiro central. Também confirmou a existência da faixa pontilhada no solo e o baixo número de placas de sinalização proibindo o estacionamento em alguns trechos.

Emdec

Procurada, a Emdec informou que o trecho alvo das reclamações dos universitários, e das últimas apreensões realizadas de veículos, está “perfeitamente sinalizado”, até mesmo porque não é possível fiscalizar sem a sinalização adequada.

Sobre as apreensões realizadas na segunda-feira, o órgão municipal confirmou que houve uma operação naquela região no período das 19h às 22h, mas pontual nas proximidades do campus, onde fica a avenida que apresenta problema crônico de desrespeito às Leis de Trânsito, principalmente em relação aos estacionamentos irregulares. Ainda de acordo com a Emdec, foram recebidas várias reclamações de infrações pelo telefone (19) 3772-1517 e na oportunidade havia carros sobre canteiro central ou em local proibido.

A PUC-Campinas informou que mantêm os portões que dão acesso ao estacionamento da instituição abertos durante a noite e que não se pronunciaria sobre o problema de trânsito na avenida, pois a via não pertence ao campus.