Publicado 16 de Outubro de 2015 - 5h30

O presidente interino do São Paulo teve ontem o primeiro compromisso público, uma entrevista coletiva no salão nobre do Morumbi. Por quase uma hora, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, apresentou planos para a gestão temporária e, tanto no discurso como na maior parte das respostas, ressaltou o compromisso de investigar as denúncias de irregularidade que culminaram com a renúncia do seu antecessor, Carlos Miguel Aidar.

Parte das acusações mais graves contra o ex-mandatário estavam em um e-mail em que o vice-presidente de futebol do São Paulo, Ataíde Gil Guerreiro, falava sobre a gravação de um áudio com detalhes sobre desvio de dinheiro em transferências e apropriação da comissão de jogadores. "Garanto que tudo será investigado. Temos organismos internos que vão fazer essa avaliação. Tudo isso será objeto de debate. Vamos analisar e quem tiver responsabilidade, será cobrado", afirmou.

Leco assumiu na última terça-feira uma gestão interina e terá o prazo de 30 dias para convocar nova eleição, na qual já é candidato. Se vencer, tomará posse para um mandato "tampão", com término para abril de 2017. O presidente falou em pressa e pretende marcar o pleito para o próximo dia 27. (Da Agência Estado)