Publicado 14 de Outubro de 2015 - 5h30

A Ponte Preta aposta em um comando democrático para somar ponto (ou pontos), hoje, às 21h, na Allianz Parque, diante do Palmeiras, pela 30 rodada do Campeonato Brasileiro. A diretoria da Macaca ouviu os líderes do elenco e decidiu dar um voto de confiança ao jovem Felipe Moreira, que estreia como técnico interino, mas poderá ser efetivado e seguir até o final do ano.

Com 41 pontos, a Macaca precisa de apenas mais cinco para garantir seu principal objetivo em 2015, que é a permanência na divisão de elite para o ano que vem. Hoje, o time está na 9 posição com 41 pontos, dez a mais que o Goiás, que abre a zona de rebaixamento, e a cinco do Santos, atual 4 colocado. Assim, a diretoria quer esperar um pouco para ver o comportamento da equipe sob nova direção.

"Tivemos um bom tempo para realizar treinos técnicos e táticos. Conversamos bastante, ouvimos a opinião dos jogadores e procuramos trabalhar para corrigir algumas situações", disse Felipe, que apresenta uma metodologia de trabalho diferente do usual. "Não tem isso de só um falar e decidir tudo. A gente ouve, troca ideias e segue junto", conta o técnico de 34 anos.

Falando em nome do elenco, os principais líderes do time — Marcelo Lomba, Borges, Fernando Bob, Cristian e Adrianinho — fizeram um pedido aos dirigentes para a permanência do interino. "O Felipe conhece bem o elenco e mostrou que sabe o que está fazendo", disse o meia Cristian, um ano mais velho que o comandante.

Sob a direção de Felipe, a Ponte tenta manter o embalo no Brasileirão. São quatro vitórias e um empate nas últimas cinco partidas. "Tivemos uma boa reação e acho que podemos seguir assim até o final. O time está entrosado e o grupo abraçou o Felipe, que pode contar com todos nós", garante o volante Fernando Bob.

O time terá três mudanças em relação ao que empatou com o Corinthians, por 2 a 2, na última rodada. O zagueiro Fábio Ferreira entra na vaga de Ferron, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. O jovem Jeferson assume a posição do também suspenso Rodinei, e Fernando Bob volta após cumprir suspensão automática. Juninho, titular na rodada anterior, será opção no banco.

Assim como aconteceu com o pai, a chance de comandar a Ponte surge por acaso para Felipe. A diferença é que em 1998, Marco Aurélio — então treinador do sub-20 — assumiu o time sob risco de rebaixamento nas dez últimas rodadas. Na ocasião, conseguiu a missão de manter a equipe na elite e iniciou uma carreira de sucesso. "Tomara que, assim como meu pai, eu tenha um bom começo", disse o interino.

‘Síndrome de Robin Hood’ ataca adversário

A folga de 10 dias no Brasileiro serviu para o Palmeiras refletir e tentar achar o caminho para ter o mesmo desempenho demonstrado diante dos líderes quando encara adversário que está abaixo na classificação. Essa "síndrome de Robin Hood" parece contagiar a equipe. O desafio hoje é contra a Ponte Preta depois da derrota por 5 a 1 diante da Chapecoense, há 10 dias. Em nove jogos contra os cinco times que estão acima na tabela, o Verdão teve quatro vitórias, três empates e duas derrotas. O problema é quando tem de olhar para a turma de baixo. Apesar da instabilidade, a equipe pode voltar ao G4 caso faça o dever de casa e Santos ou São Paulo não vençam seus jogos — diante de Grêmio e Fluminense. Hoje, o técnico Marcelo Oliveira não terá Jackson e Egídio, suspensos. Gabriel Jesus e João Pedro serão reavaliados para saber se podem, pelo menos, ficar no banco, já que jogaram pela seleção olímpica na última segunda. Robinho e Cleiton Xavier estão fora, machucados. (Agência Estado)

Treinador recebe voto de confiança dos dirigentes

Apesar de ter recebido a indicação de pelo menos 30 treinadores na última semana, a diretoria da Ponte Preta decidiu dar um voto de confiança ao novato Felipe Moreira. Com 34 anos de idade, o filho do ex-treinador Marco Aurélio Moreira fará sua estreia no comando de uma equipe profissional, hoje, diante do Palmeiras.

A missão do técnico interino, que tem boas chances de ser efetivado no cargo, é somar cinco pontos nas próximas nove rodadas. "Tenho uma ligação muito forte com a Ponte Preta", destaca Felipe, que foi jogador do clube e passou por todas equipes da base. Encerrou a carreira de atleta aos 22 anos por causa de uma lesão no joelho. "Desde então, fui para a faculdade e fiz estágios no Benfica, de Portugal, e Kashiwa Reysol, no Japão", conta. O interino iniciou a vida de auxiliar-técnico com o pai e passou pelo Cruzeiro, Figueirense, Atlético-MG, Fortaleza, Vitória, América-MG e Bragantino.

Com o amigo Mazola, trabalhou no Paysandu e Cuiabá, onde chegou a comandar o time profissional em quatro partidas porque o treinador principal estava suspenso. "Tive proposta para ser efetivado, mas naquele momento achei que não era o melhor. Decidi esperar um pouco mais."

Felipe passou duas vezes pela Ponte como auxiliar. Em 2009, conquistou o título de campeão do Interior. "Sei que as coisas estão acontecendo muito rápido, mas estou preparado para este desafio. Meu desejo é trabalhar para conseguir sempre o melhor para a Ponte Preta." (PS/AAN)

NOTAS DA MACACA

Nova liga

A Ponte Preta recebeu convite para fazer parte da Copa Sul-Minas-Rio, mas não aceitou. A decisão, por enquanto, é esperar o posicionamento dos clubes da Capital já que a Federação Paulista de Futebol se opõe ao torneio.

Oposição

Com a saída dos chamados grandes, haveria um esvaziamento do Paulistão, algo que a FPF não quer. A Macaca também não pretende comprar briga com a entidade, já que negocia uma melhor cota para o Paulistão 2016. A Macaca quer passar de R$ 3 milhões para R$ 7 milhões.

Os integrantes

O grupo conta com 15 clubes, sendo que 12 irão participar da Copa que já teve aval da CBF. Flamengo, Fluminense, Atlético-MG, Cruzeiro, Atlético-PR, Coritiba, Avaí, Figueirense, Internacional, Grêmio, América-MG, Chapecoense, Paraná, Criciúma e Joinville estão na nova Liga. O Goiás pediu, mas não foi aceito. O Botafogo-RJ foi convidado e recusou.

PALMEIRAS

Fernando Prass; Lucas, Victor Ramos, Vitor Hugo e João Paulo; Thiago Santos, Andrei, Zé Roberto, Dudu e Rafael Marques; Alecsandro. Técnico: Marcelo Oliveira.

A FRASE

“Nosso time é alto

e faz muitos gols,

mas precisamos melhorar lá atrás.”