Publicado 13 de Outubro de 2015 - 5h30

Carlos Miguel Aidar deve entregar na noite de hoje a carta de renúncia à presidência do São Paulo, em ato para abrir oficialmente a campanha política para a eleição do sucessor. Nos bastidores os conselheiros já começaram as articulações e o quadro aponta para a presença de mais de um candidato ao cargo.

O atual presidente se reúne com aliados à noite para formalizar a saída. Quem assume imediatamente o comando é o presidente do Conselho Deliberativo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. O dirigente tem até 30 dias para convocar novas eleições e será um dos concorrentes ao mandato tampão, até abril de 2017.

Leco tem o apoio de aliados do ex-presidente Juvenal Juvêncio e de correligionários de ex-dirigentes como Marco Aurélio Cunha e Ataíde Guerreiro. A proximidade da renúncia fez os antigos sete partidos do Conselho Deliberativo do São Paulo a costurarem novas alianças. Duas delas podem indicar concorrentes para Leco.

Uma das correntes mais numerosas é um grupo intitulado "Governabilidade", formado por antigos aliados e membros da diretoria de Aidar. Os cerca de 75 integrantes estão dispostos a avaliar propostas dos futuros candidatos e estudam lançar o próprio nome para a disputa do cargo.

Outra aliança é encabeçada por ex-presidentes do clube, que estão na ativa para definirem um nome de consenso para a disputa da nova eleição. Um possível candidato é Fernando Casal de Rey, presidente entre 1994 e 1998. "Sempre defendo a renovação. Mas não quero descartar nada. Aprendi com a idade, estou com 70 anos, a nunca dizer ‘não”, disse o cartola. (AE)