Publicado 11 de Outubro de 2015 - 5h30

O zagueiro David Luiz e o goleiro reserva Marcelo Grohe foram dispensados pela Seleção Brasileira na manhã de ontem. Ambos foram cortados da equipe por contusão. A CBF informou que nenhum jogador será chamado para suprir as duas ausências.

David Luiz sofreu uma contusão no joelho esquerdo durante a partida contra o Chile, na quinta-feira, em Santiago, na abertura das Eliminatórias da Copa do Mundo. Ele se machucou sozinho e teve de ser substituído ainda no primeiro tempo por Marquinhos, que deve herdar a vaga na terça-feira contra a Venezuela, às 22h, em Fortaleza, pela segunda rodada das Eliminatórias Sul-Americanas.

O defensor foi submetido a exames na noite de sexta-feira em um hospital de Fortaleza. Foi constatada a impossibilidade de rápida recuperação do atleta. Grohe, que também passou por exames, machucou o ombro durante um treinamento realizado em Santiago, em um choque com o zagueiro Miranda.

Sem os dois, a Seleção Brasileira fez no final da tarde de ontem o primeiro treino em Fortaleza. A atividade será no estádio Presidente Vargas. A Venezuela, adversária de terça-feira, estreou em casa e também perdeu: 1 a 0 para o Paraguai.

Neymar

Ausente dos dois primeiros jogos das Eliminatórias em virtude de sua expulsão na primeira fase da Copa América, o atacante Neymar só estará à disposição do técnico Dunga a partir da terceira rodada das Eliminatórias, em novembro.

Ontem, num momento difícil para o Barcelona na temporada, entre derrotas e lesões, Neymar afirmou que o time catalão precisará fazer mais do que fez na temporada passada se quiser repetir a tríplice coroa — os títulos do Campeonato Espanhol, da Copa do Rei e da Liga dos Campeões.

"Tivemos uma grande temporada ao conquistar a tríplice coroa, mas nesta temporada será mais difícil. Teremos que fazer mais do que fizemos antes para vencer nossos oponentes", declarou o atacante, em entrevista ao site do clube.

O Barcelona vem de semanas complicadas neste início de temporada europeia. Sofreu derrotas dolorosas, como a goleada diante do Celta e o revés para o Sevilla, na rodada passada, e caiu para o quarto lugar do Espanhol.

Além disso, perdeu jogadores importantes do elenco por lesão, como Andrés Iniesta e Lionel Messi. O maior artilheiro da história do clube só deve voltar a jogar no fim de novembro. Enquanto isso, Neymar e Luis Suárez devem liderar o ataque catalão.

Para executar esta missão, o brasileiro conta com a experiência adquirida nas duas temporadas anteriores na Europa. "Eu mudei meu estilo de jogar e a minha vida, ambos para melhor", afirmou o atacante, antes de lembrar que o entrosamento com Messi e o próprio Suárez ajudou em seu crescimento. (Da Agência Estado)

Vencer em casa passa a ser uma obrigação

A Seleção Brasileira já absorveu a derrota para o Chile na estreia nas Eliminatórias Sul-Americanas e se concentra na partida de terça-feira contra a Venezuela. O tropeço em Santiago, porém, reforçou a convicção de que, na disputa pelas vagas na Copa da Rússia, mais do que nunca vai valer a filosofia pragmática que prega ser vital vencer os jogos em casa e, quando possível, beliscar pontos fora.

Depois de perder no Chile, a vitória no jogo que será realizado no Estádio Castelão, tornou-se obrigatória. "A partida em casa vai ser fundamental. Temos sempre de conseguir os três pontos em casa. Hoje o futebol é muito equilibrado", justificou Dunga.

Além disso, o adversário de terça-feira é uma das equipes mais fracas da disputa — na estreia perdeu em casa para o Paraguai. Apesar de o Brasil ter tido dificuldades contra os venezuelanos na Copa América realizada no Chile no meio do ano, jogando em casa a expectativa é de que a situação seja completamente diferente.

O capitão Miranda também defende a tese do "ganhar em casa e somar pontos fora sempre que possível", embora ressalte que a Seleção Brasileira tem de vencer sempre, não importa contra quem e o local em que o jogo ocorra. "Pela dificuldade da competição, é importante pontuar fora", receita. "É, fundamental, fazer três pontos em partidas em que tenha o mando de campo". (AE)

84

Já marcou a Seleção Brasileira em 21 jogos contra a Venezuela, que fez apenas sete.

A FRASE

“Temos um jogo em casa e precisamos vencer.”