Publicado 14 de Outubro de 2015 - 5h00

Há uma pérola, o DVD duplo (também em CD) dedicado à música e à memória da carioca Adiléia da Silva Rocha, a inesquecível Dolores Duran (1930-1959): Duas Noites para Dolores Duran - Ao Vivo, lançamento da Coleção Canal Brasil em parceria com Rodrigo Faour, diretor-geral, apresentador, produtor dos shows e biógrafo da artista homenageada.

Mesmo com o grande número de intérpretes se revezando nos microfones, o DVD tem boa qualidade sonora. O repertório vai dos grandes sucessos de Dolores até algumas músicas estrangeiras, e muitas histórias sobre ela, ora reveladas por Faour, ora por seus velhos amigos. Musicalmente elegante, tem um roteiro precioso.

O DVD 2 foi gravado no Teatro Eva Hertz, em São Paulo. Mas hoje trataremos do DVD 1, registro do show na Miranda, Rio de Janeiro, em março de 2013. Nele, Rodrigo Faour reuniu um eclético grupo de intérpretes — desde os veteranos João Donato, Leny Andrade, Doris Monteiro e Elba Ramalho até os novatos, ou melhor, os ainda pouco conhecidos Márcia Castro, Simone Mazzer e Márcio Gomes.

Com direção musical do violonista Paulo Serau, a banda que os acompanha tem ainda Tibor Fittel (piano acústico), Davi Martin (baixo acústico), Alê Cortina (bateria) e José Arimatéa (trompete), além de participação especial do pianista Ricardo Junior.

Logo de cara, por meio do apresentador, ficamos sabendo que o pianista e compositor João Donato foi namorado de Dolores. Chamado ao palco, ele interpreta o único número instrumental dos dois DVDs: "Too Young" (Sid Lippman e Sylvia Dee). Show de bola do mestre.

O show segue. Leny Andrade canta Estrada do Sol (Tom Jobim e Dolores Duran) com Donato. Os improvisos vocais dela e o intermezzo do piano já valem a audição. E, em conversa com Faour, Leny fala do bom humor de Dolores.

Doris Monteiro canta Se É Por Falta de Adeus. Sua interpretação sussurrada emociona. A seguir, ela canta Conversa de Botequim (Noel Rosa), e Faour justifica a inclusão do samba, também gravado por Dolores: ela ficara encantada com Aracy de Almeida cantando Noel, num show na boate Vogue, em Copacabana.

Simone Mazzer arrasa cantando Solidão (DD) e Canção da Volta (Ismael Neto e Antonio Maria). Mas o melhor dela vem depois: My Funny Valentine, adoravelmente over, é opulenta.

Chamada ao palco por Faour, Lana Bittencourt canta dois boleros com Márcio Gomes, cantor que a antecedeu: Pecado, interpretado com voz emocionada e comovente, que tem um belo intermezzo do piano, e Sabra Dios, interpretação visceral da dupla. Se ela já cantava de forma tocante, tal atributo se duplica em Leva-me Contigo (DD). Convidada por Lana, Leny volta ao palco e, juntas, cantam O que É que Eu Faço (José Ribamar e DD). Novamente sozinha, Lana traz a emoção de volta com Castigo (DD).

Por fim, todo o elenco de volta ao palco. Juntos — felizes e agradecidos a Rodrigo Faour, que os reuniu —, cantam a plenos pulmões: “Hoje eu quero a rosa mais linda que houver...”.