Publicado 15 de Outubro de 2015 - 17h46

Por Agência Estado

 Os organizadores estimam o número de presentes em 30 mil mas a Brigada Militar calcula 20 mil

France Presse

Os organizadores estimam o número de presentes em 30 mil mas a Brigada Militar calcula 20 mil

O movimento Vem Pra Rua deve realizar mais um protesto contra a presidente Dilma Rousseff na próxima segunda-feira (19). Os manifestantes vão se concentrar no Largo da Batata, na zona oeste de São Paulo, a partir das 18h e de lá partir para uma passeata cobrando a instauração do processo de impeachment da presidente. Mais de 3 mil pessoas já confirmaram presença pelas redes sociais.

Segundo o líder do movimento, o empresário Rogério Chequer, o grupo vai intensificar a pressão em torno do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), responsável por aceitar ou não o pedido de afastamento. A ideia é fazer com que o novo pedido de impeachment - protocolado hoje pelos advogados Hélio Bicudo, Miguel Reale Jr. e Janaina Paschoal no 4º cartório de notas de São Paulo - seja aceito já na terça, 20. "Queremos que o Cunha cumpra com a prerrogativa da função que ocupa e dê prosseguimento ao rito democrático de cassação da Dilma", diz o empresário.

Chequer também criticou a articulação entre o presidente da Câmara e o governo para evitar a cassação do deputado, mas descartou adotar a bandeira "Fora Cunha" no momento. "Estou indignado com a barganha promovida usando uma investigação contra o Eduardo Cunha. Ele é um nome de uma lista de 50 denunciados pelo Procurador da República, Rodrigo Janot e que deve ser investigado e processado", disse, referindo-se às denúncias de que o deputado manteria contas na Suíça alimentadas com dinheiro de propina na Petrobras.

Ainda segundo o empresário, a ideia é levar as manifestações a outras cidades do País, mas nenhum calendário foi definido até o momento.

Escrito por:

Agência Estado