Publicado 15 de Outubro de 2015 - 10h07

Por France Press

Os Estados Unidos vão desacelerar a retirada de suas tropas no Afeganistão e manterão até 2017 milhares de militares neste país assolado pela guerra, segundo anunciará o presidente Barack Obama, antecipou um funcionário do governo.

De acordo com o novo plano, a força atual de 9.800 efetivos ficará durante grande parte de 2016 e cairá para 5.500 entre o final do próximo ano e o início de 2017.

Até então, o plano era que os quase 10.000 soldados que se encontram no país fossem reduzidos para 1.000 efetivos até o fim de 2016.

Com o novo projeto, Obama deve deixar de lado suas esperanças de trazer para casa quase todas as tropas no Afeganistão até o final de seu mandato, em janeiro de 2017, depois de anos de intensa luta nesse país.

A administração Obama foi muito criticada por seus planos de retirar as forças americanas do Afeganistão.

Seus opositores dizem que o movimento torna o país mais suscetível aos ataques dos talibãs, que há duas semanas tomaram a cidade de Kunduz, sua maior vitória militar desde a invasão de 2001 de uma coalizão liderada por Estados Unidos.

Mas uma resposta rápida das forças de segurança afegãs treinadas pelos americanos levou à rendição dos talibãs.

A fonte, que não quis ser identificada, indicou que o anúncio de Obama ocorrerá "depois de uma revisão ampla e que levou meses, e em consulta com toda sua equipe de segurança nacional e sócios afegãos".

Enfatizou, além disso, que as tropas que permanecerão no país não terão um papel de combate.

As forças da Otan estão no Afeganistão desde 2001.

Escrito por:

France Press