Publicado 13 de Outubro de 2015 - 17h45

Essa foi a segunda queda seguida do dólar.

Cedoc/ RAC

Essa foi a segunda queda seguida do dólar.

A riqueza per capita caiu mundialmente no ano passado, em particular na América Latina e na Europa, por causa da depreciação de diversas moedas em relação ao dólar, segundo um estudo do Credit Suisse publicado nesta terça-feira (13).

Entre meados de 2014 e de 2015, a riqueza por adulto caiu em 6,2%, a US$ 52, 4 mil, abaixo do nível de 2013, informou o banco suíço.

A renda das famílias sofreu uma contração de 13 trilhões de dólares, dos quais a grande maioria, 10,7 trilhões, correspondem à Europa.

Esses números ocultam, contudo, um grande contraste regional, ressaltaram os autores do estudo, que insistiram que esses movimentos se explicam pela flutuação das taxas de câmbio.

Na América do Norte a riqueza per capita cresceu 4,4%, e 7% na China, país com a maior classe média do mundo (109 milhões de pessoas). A riqueza por pessoa caiu 17,1% na América Latina e 12,4% na Europa.

Os economistas do Credit Suisse mantém-se otimistas sobre a evolução nos próximos cinco anos.

Globalmente, a riqueza aumentará 6,6% até 2020. O número de milionários crescerá 46,2%, a 49,3 milhões de adultos, graças à China e em menor medida à África.