Publicado 14 de Outubro de 2015 - 11h31

A Prefeitura de Campinas decidiu romper contrato com a Mixcred, empresa responsável pelo vale-alimentação - Bancred - e refeição dos 18 mil servidores municipais. No processo administrativo aberto para apurar as falhas no serviço da operadora, como atrasos nos repasses a mercados e restaurantes, a Administração considerou que a defesa da Mixcred não apresentou argumentos válidos para justificar as irregularidades. A companhia terá ainda que pagar multa de R$ 691 mil e está impedida de participar de licitações públicas na cidade por dois anos.

Como consequência dos atrasos de mais de um mês nos repasses aos estabelecimentos, vários lugares não aceitam mais o cartão da Mixcred e funcionários têm cada vez opções mais escassas para fazer suas compras. Servidores dizem passar por constrangimento nos mercados.

A Sanasa havia rescindido contrato com a operadora no dia 20 de setembro pelos mesmos motivos, e preparou nova licitação às pressas. Pelas regras da licitação, que assumiria o serviço na Prefeitura seria a segunda colocada no pregão, a Verocred.

Assinado em março, o contrato com a Mixcred estipulava repasse de R$ 138 milhões da Prefeitura em 12 meses, para crédito nos cartões dos funcionários. O valor inclui a taxa de administração, de 3,69% dos créditos.